05/12/2018 15:03

Quantidade de visualizações: 2912

Rádio Pioneira com Gazeta Digital

Fotos: Alexandre Rolim - Tangará em Foco

Nas primeiras horas desta quarta-feira (05), a Delegacia Fazendária (Defaz-MT) e a Polícia Judiciária Civil (PJC) de Mato Grosso deflagrou em sete municípios a Operação Mão Dupla, com o objetivo de investigar um suposto esquema de fraudes no processo de obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Conforme dados repassados pela PJC, os valores para se “negociar” as carteiras variavam entre R$ 1 mil a R$ 4 mil.

Tangará da Serra foi um dos municípios com mandado de prisão preventiva cumprido pelas forças policiais. O servidor do Detran, Hugo Paternez, foi teve o mandado de prisão cumprido e foi entregue à Justiça sob suspeita de envolvimento.

"Não foi em flagrante, foi um mandado de prisão e o rapaz vai passar por audiência de custódia no período da tarde lá no Fórum (...). Ele se encontra na carceragem do Cisc e depois desse horário vai ser encaminhado para lá, ser apresentado ao juiz para a audiência de custódia. Se ele vai permanecer preso ou não, vai depender da audiência", afirmou à Pioneira um agente da Polícia Civil.

Ainda conforme informações de um dos investigadores da PJC que deram apoio aos trabalhos da Operação em Tangará da Serra, haviam duas residências no nome do suspeito, sendo uma na rua 18, situada na região central da cidade, e outra na rua 120, no Jardim Tarumã, onde foi localizado.

“No nome dele tinha dois endereços. Um no centro na rua 18, mas ele estava morando no Tarumã. A equipe deslocou para lá e efetuou a prisão dele”, completou.


Desdobramentos

A operação cumpre 60 ordens judiciais, sendo 25 mandados de prisão preventiva e 35 buscas e apreensões nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande, São Félix do Araguaia, Chapada dos Guimarães, Campo Verde, Tangará da Serra, Juína e Rondonópolis. Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

Do total, 20 servidores do Detran-MT (Cuiabá e Tangará da Serra) e 15 particulares em colaboração, que são instrutores e donos de autoescola, com atuação conjunta deservidores que montaram um “verdadeiro balcão de negócios” dentro do órgão para o comércio de CNH’s.

As investigações iniciaram com informações repassadas pela Coordenadoria de Fiscalização de Credenciados doDepartamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), e denúncias que chegaram à Especializada, sobre a venda ilícita de Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Os condutores de veículos em Mato Grosso que obtiveram a carteira nacional de habilitação (CNH) mediante pagamento de propina a examinadores e donos de auto escolas, sem fazer aulas e testes, terão seus documentos cancelados.

*Com informações do Gazeta Digital

Operação mão dupla: Servidor do Detran de Tangará é preso por cumprimento de mandadoOperação mão dupla: Servidor do Detran de Tangará é preso por cumprimento de mandadoOperação mão dupla: Servidor do Detran de Tangará é preso por cumprimento de mandado