06/11/2018 08:00

Quantidade de visualizações: 1002

Marlenne Maria com Asis Wébio

Foto: reprodução.

O fato foi registrado na última quinta-feira, onde um acadêmico foi flagrado dentro do banheiro feminino. Segundo as informações de estudantes da instituição em Tangará da Serra, o rapaz estaria com o celular ligado e possivelmente fazendo filmagem ou fotografias.

O acadêmico acabou detido em flagrante e conduzido à Delegacia de Polícia onde foi registrado boletim de ocorrência. O rapaz foi liberado em seguida.

O caso foi acompanhado de perto por dois coordenadores de cursos da instituição. “Infelizmente aconteceu este fato, que está fora do nosso controle. O acadêmico realmente entrou no banheiro feminino e foi flagrado por pessoas. Ele confessa que estava no banheiro, fazendo eventualmente uma filmagem. Nós o acompanhamos até a Delegacia, junto com o Coordenador do Curso de Administração. Acompanhamos, até porque as vítimas seriam alunas do curso de Administração. A delegada por fim entendeu que ele deveria ser liberado e os procedimentos legais estão sendo adotados”, disse à Rádio Pioneira o Professor Magno Ribeiro, Coordenador do Curso de Ciências Contábeis.

Em relação à Unemat, o caso está sendo tratado de acordo com as normas do Regimento Acadêmico. “Ninguém deve ser condenado sem o direito à defesa. E nós estamos nomeando uma comissão disciplinar, porque ele transgrediu regras internas. Ele praticou ato atentatório à integridade moral daquelas acadêmicas. Cabe punição e temos várias instâncias para que o devido processo legal seja observado. Porque, se não observarmos isto, alguém pode derrubar tudo que foi decidido. E entendemos que ele deve ser punido dentro do previsto, nem mais, nem menos, mas de acordo com o tamanho da gravidade do fato que ele cometeu”, explicou o Prof. Magno.

Ainda nesta semana a Comissão Processante Disciplinar ouvirá as partes e elaborará relatório apontando para uma punição que pode ser advertência escrita, suspensão ou desligamento da instituição. A sindicância tem prazo de 7 dias úteis para conclusão do relatório e submissão às instâncias superiores da Unemat.

O Coordenador do Curso de Ciências Contábeis explica que para evitar mais problemas, o acadêmico foi orientado a não frequentar a instituição até que a situação esteja resolvida. “Até por uma questão de resguardar a integridade das pessoas envolvidas, eu pessoalmente solicitei que o acadêmico evitasse frequentar a instituição enquanto isto não estiver resolvido. Houve, extraoficialmente a informação de que quando chegou à empresa onde trabalhava em Nova Olímpia teria sido demitido. Isto já vai trazer consequências. Aqui dentro da instituição, algum tipo de pena haverá. E deve haver, porque foi um fato grave, que não deve acontecer. Tem que haver respeito às pessoas e houve uma transgressão. Não podemos, no ímpeto de punir as pessoas, tirar o direito da defesa. Apesar de que os fatos são reais. Há fartos documentos, como boletim de ocorrência filmagens e fotos, mas a sindicância tem que caminhar, para que não haja injustiça nem para um lado, nem para outro”, afirmou.