17/10/2018 13:03

Quantidade de visualizações: 346

Paulo César Desidério com Asis Wébio

Foto: Asis Wébio - Rádio Pioneira

No último dia 09 de outubro foi comemorado o dia mundial do atletismo. Modalidade olímpica, o atletismo foi uma das primeiras a receberem o status de competição na história. Desde os tempos da Grécia Antiga até os dias atuais, muita coisa mudou. A tecnologia faz a diferença nas pistas, desde o preparo físico dos atletas até o tênis que eles usam durante as provas, os equipamentos e outros detalhes que passam despercebidos em meio a essa evolução.

Em Tangará da Serra, o professor Nelson Carlos Ferreira Junior, ex-atleta que disputou duas olimpíadas (Atlanta 96 e Sidney 2000), ensina crianças e adolescentes a darem seus primeiros passos na modalidade. Ele conta que começou aos 17 anos de idade no município de São José dos Quatro Marcos, onde alcançou índice olímpico.

“O atletismo para mim é o esporte da grande massa do Brasil tirando o futebol, porque ele atinge as classes menos favorecidas. É um esporte em que você caminha com as suas pernas, você não precisa de um, cinco ou dez companheiros na quadra ou no campo para te ajudar. No atletismo, se você fizer bem feito, você caminha com as suas próprias pernas, você cria o seu destino, o seu caminho, você traça uma meta para ver onde você quer chegar. Por isso que eu amo o atletismo e transmito para as crianças hoje. Digo sempre que depende deles, correndo atrás até conseguir o objetivo”, afirmou.

Justamente por se tratar de uma modalidade popular, muitos talentos acabam deixando de ser descobertos. Com Nelson, Tangará da Serra já começa a conhecer suas pequenas joias, que vem se destacando em provas infanto-juvenis a nível de Brasil sendo que três já aparecem entre os mais bem colocados no ranking nacional. Para Nelson, tudo corre dentro do planejado. A próxima meta é classificar algum dos jovens pupilos tangaraenses para uma competição continental.

“Temos meninos aqui já entre as primeiras posições do ranking brasileiro. Não é um, são vários talentos que a gente encontrou aqui. Três deles já estão entre os três melhores do Brasil, que era o nosso objetivo para esse ano, colocar a cara de Tangará da Serra no cenário nacional do atletismo. Já conseguimos. No ano que vem, a gente vai atrás de medalhas nos campeonatos brasileiros, tentar classificar um atleta para o Sul-Americano e mostrar a cara de Tangará para o Brasil e para o mundo”, projeta Nelson.
Passo a passo, após a classificação de um talento tangaraense para uma disputa internacional, Nelson sonha em fazer com que um dos meninos treinados por ele alcance uma vaga em uma olimpíada, para que mais jovens se inspirem e ingressem na modalidade.

“Assim como eu fui atleta olímpico em São José dos Quatro Marcos, eu quero formar um atleta olímpico em Tangará da Serra para a gente ter para a gente abrir o horizonte de outras crianças aqui para que venham praticar a modalidade também. Valeu a pena, mudou a minha vida. Hoje sou o que sou, a pessoa que sou, viajei o mundo inteiro através do atletismo, uma pessoa de uma família pobre, humilde. Então, o que eu transmito para as crianças é através do atletismo”, concluiu.