11/10/2018 07:06

Quantidade de visualizações: 458

Rádio Pioneira com assessoria

A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso informa que acompanha, por meio da Gerência de Combate a Crimes de Alta Tecnologia (Gecat), a onda de notícias supostamente falsas, compartilhadas em redes sociais (whatsapp e facebook) referente à sequestro de crianças em bairros de Cuiabá e Várzea Grande.

A Polícia Civil reitera que todas as ocorrências oficiais serão imediatamente checadas e aqueles casos identificados comprovadamente como falsos, as pessoas poderão responder por comunicação falsa de crime ou denunciação caluniosa.

A instituição informa que não há nenhum registro de criança desaparecida na região metropolitana, junto ao Núcleo de Pessoas Desaparecidas, da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoas (Dhpp).

Referente aos supostos sequestros, até o momento, apenas um registro foi identificado, em Cuiabá, onde a uma mãe narra que tentaram levar sua filha enquanto passava por um ponto de ônibus, na região do Residencial Aricá, em Cuiabá. A mulher foi ouvida, nesta quarta-feira (10), na Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica) e manteve a informação noticiada em boletim de ocorrência.

A Especializada buscará por imagens de câmeras de segurança da localidade e eventuais testemunhas, para identificar a suposta sequestradora, que segundo a comunicante/vítima contava com apoio de um Pálio Preto. Um retrato falado também será confeccionado.

Outra comunicação, feita nesta quarta-feira (10), refere-se ao proprietário de um veículo Fiat Pálio, ano 2008/2009, verde, que informou à Polícia Civil, em boletim de ocorrência, que seu carro foi fotografado e apareceu em uma postagem feita por uma mulher, vinculando aos supostos sequestros de crianças. O comunicante também será ouvido na Deddica, podendo ser requisitada perícia no veículo.

A Polícia Civil reforça que todos os casos estão sendo investigados para o total esclarecimento dos fatos e, assim, dar uma resposta à população, especialmente, acalmar as mães sobre as notícias falsas que viralizaram nos últimos dias nas redes sociais.