09/10/2018 12:50

Quantidade de visualizações: 198

Paulo César Desidério com Gilvan Melo

Foto: Reprodução

No último dia 03 de outubro, foi comemorado o Dia Mundial do cirurgião dentista. A data foi instituída em menção à inauguração do primeiro curso de formação odontológica do mundo, que ocorreu no ano de 1840 na cidade de Baltimore, nos Estados Unidos. Em termos de Brasil, embora o conhecimento científico tenha evoluído bastante, o alto custo dos tratamentos na rede particular e o baixo investimento na rede pública de saúde em se tratando do setor da odontologia acabam por afetar diretamente a vida da população.

De acordo com o cirurgião dentista José Paulo de Jesus, a data é de enorme importância, para que os profissionais tenham o seu indispensável papel lembrado pela sociedade.

“É uma data muito importante para que possamos refletir sobre o papel deste profissional na sociedade. Nós, lamentavelmente, vivemos num país em que a condição da saúde bucal dos nossos cidadãos ainda é bastante precária. Então, ainda somos um país que investe pouco em saúde de uma forma geral e a odontologia acaba recebendo menos atenção do poder público, das pessoas que são responsáveis principalmente para elaborar e promover as políticas voltadas para a população mais carente que tem menos acesso aos tratamentos e principalmente prevenção”, afirmou.

Devido aos investimentos menores na saúde bucal do brasileiro por parte do poder público, há no país o inverso do que deveria ser feito, pois a prevenção sai muito mais em conta para o bolso de todos do que os tratamentos.

“A prevenção é o meio mais barato e eficiente de você cuidar da saúde. Evitar que as pessoas fiquem doentes é mais barato que tratar as pessoas doentes. A saúde bucal se insere no conjunto de saúde geral do indivíduo, ela não está alheia, não está fora desse processo. A boca não está separada do corpo. A boca faz parte do conjunto do nosso corpo. Então, quando se fala em saúde, falamos em saúde global. A saúde bucal está inserida nesse contexto”, disse.

O dentista lembra que a saúde começa pela boca. Cuidados como a escovação dos dentes antes e depois das refeições, limpezas com profissionais qualificados e medidas preventivas acabam sendo a maneia ideal de cuidar da saúde bucal. Com o acesso à internet, muitas pessoas acabam seguindo dicas que não trarão resultados sólidos. José Paulo lamentou as confusões de informações relacionadas à saúde bucal.

“A saúde começa pela boca. Os alimentos que nos mantém vivos, que são de onde tiramos nutrientes, precisam passar pela boca, tem que passar pelo processo de mastigação para depois passar pelo trato digestivo e o organismo absorver os nutrientes necessários. Se o indivíduo não tem uma boa qualidade de saúde bucal, essa é uma das funções primárias e ele já não vai conseguir desenvolver de forma adequada. Então, o dentista é o indivíduo preparado para orientar, dar informação, para cuidar, tratar a pessoa que depende desses cuidados. Hoje em dia, principalmente, com a disseminação da informação através da internet, a gente vê um monte de informações difusas, imprecisas, erradas, que levam as pessoas a buscar às vezes tratamento que tem resultados duvidosos, sem comprovação da sua eficácia e da sua eficiência”, destacou.
Em pleno ano de 2018, ainda há quem sinta medo de ir ao dentista. O especialista tranquilizou a população e afirmou que ao invés de medo, a relação entre paciente e dentista deve ser pautada na confiança.

“Muitas vezes as pessoas têm dificuldade, ainda tem medo de ir a um consultório odontológico, não só particular, mas às vezes até em um serviço público de saúde para buscarmos essas informações. Então, essas datas são importantes para nos remetermos a essas informações também e, principalmente, dar o encaminhamento para as dúvidas e as necessidades que as pessoas tem. O dentista é o indivíduo preparado para estar resolvendo esses problemas”, concluiu.