09/10/2018 07:41

Quantidade de visualizações: 194

Paulo César Desidério com Gilvan Melo

No último domingo (07), eleitores foram às urnas em todo o país para escolherem seus representantes no primeiro turno das eleições 2018. Na oportunidade, o cidadão eleitor pode votar para deputado federal, deputado estadual, senador, governador e presidente. Como de costume, a Polícia Militar atuou para garantir a segurança da população na data do pleno exercício de cidadania.

De acordo com o coronel Heverton Mourett, responsável pelo Comando Regional VII da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, os municípios abrangidos pela corporação tiveram um domingo de votação bastante tranquilo, sem nenhuma exaltação de ânimos.

“Embora o pleito eleitoral estivesse polarizado, pudemos ver que houve uma tranquilidade durante as votações nos colégios e nas sessões eleitorais. É verdade que nós observamos que havia uma certa aglomeração de pessoas, mas nada fora da normalidade. Todos tiveram acesso, tiveram o direito de entrar e votar nas suas sessões eleitorais sem incômodos, com uma certa tranquilidade, inclusive. Não houve nenhuma defesa apaixonada que pudesse alterar os ânimos e provocar discussões”, afirmou.

Mesmo com tranquilidade, alguns crimes eleitorais foram registrados nas cidades de Denise, Nova Olímpia, Barra do Bugres e Tangará da Serra.

“Nós encontramos algumas práticas delituosas, crimes eleitorais. Entretanto, podemos assegurar que não houve nenhuma anomalia, embora tenham ocorrido seis fatos delituosos na regional. Três na cidade de Denise, um em Nova Olímpia, um em Barra do Bugres e um aqui em Tangará da Serra. Mas, nada que provocasse transtorno ou uma articulação diferenciada do sistema policial. Como disse, o pleito eleitoral foi dentro da normalidade e também pudemos entender que as demais ocorrências do dia a dia do sistema policial também estiveram dentro da normalidade”, complementou, ao reforçar que o dia foi bastante tranquilo para os eleitores.

“De uma forma geral a gente pode avaliar que o primeiro turno das eleições 2018 não teve alteração que pudesse ser enfatizada ou que pudesse manchar o exercício livre da cidadania. Graças a Deus, o processo foi transparente, democrático, sem maiores dificuldades para o processo policial”, concluiu.