08/10/2018 13:16

Quantidade de visualizações: 100

Rádio Pioneira com Gazeta Digital

O fato do grupo partidário de Mauro Mendes (DEM) ter eleito o maior número de deputados estaduais nas eleições deste ano abre caminho confortável para que o novo governador consiga uma base aliada ampla na Assembleia Legislativa. A Coligação “Pra Mudar Mato Grosso” fez 9 parlamentares dentro das 24 vagas disponíveis.

A tendência agora, é que o democrata ainda tente cooptar deputados eleitos por coligações adversárias. Ainda neste domingo (7), no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá, local onde ocorreu a apuração dos votos, Mauro Mendes já trocava gentilezas com, por exemplo, Ulysses Morais e Elizeu Nascimento, ambos deputados eleitos pelo partido Democracia Cristã (DC), sigla que compôs a coligação “Segue em Frente Mato Grosso”, do atual governador Pedro Taques (PSDB).

“Minha prioridade é trabalhar com os povos mais humildes de Mato Grosso e das cidades longínquas do Estado, como venho fazendo com as comunidades em Cuiabá”, desconversou Elizeu, que é vereador por Cuiabá, ao ser questionado sobre um possível apoio ao governo de Mauro Mendes.

Elizeu festejou com o colega de partido, Ulysses, a ascensão da dupla ao Legislativo estadual. Aos 28 anos, Ulysses será o deputado mais jovem da Assembleia. Militante do Movimento Brasil Livre (MBL), ele ficou conhecido por publicar vídeos na internet criticando de forma generalizada a política e, no domingo, disse que pretende reduzir “privilégios” dos deputados e obrigá-los a prestar contas.

“Os vídeos que eram feitos na sala do meu escritório agora vão ser feitos na tribuna da Assembleia”, disse orgulhoso. Em conversa com Mauro, o noviço parlamentar parabenizou o governador eleito e os dois trocaram amenidades.

Janaina Riva (MDB), que conseguiu vencer deputados da base aliada de Pedro Taques em número de votos, também desconversou sobre qual será sua postura no governo de Mauro Mendes. Questionada sobre a possibilidade de participar das eleições da próxima Mesa Diretora da AL, disse apenas que prefere ser humilde e refletir sobre o futuro.

“O mais importante agora é não colocar o carro na frente dos bois e não deixar a soberba vencer, como venceu no último governo do Estado”, comentou. “Uma postura independente na Assembleia é o que eu quero prezar, mas não descarto também compor a base governista. Isto vai depender muito de como o novo governador deseja conduzir o seu mandato”, tergiversou.