04/10/2018 08:37

Quantidade de visualizações: 248

Paulo César Desidério com Asis Wébio

Acontece neste sábado (06) às 17h00 na Papelaria Ideias o lançamento do livro infantil ‘A dita cura do rei’, de Jociele Rosa. A autora lança sua terceira obra voltada para o público infantil, conta que de vez em quando “brinca de escrever”. Desta vez, a brincadeira aconteceu em janeiro deste ano, quando ela teve a ideia de produzir o texto que, segundo a própria escritora, retrata o tempo.

“Esse livro, ‘A dita cura do rei’, conta a história de um tempo, fala sobre o tempo, um tempo muito antigo onde ainda existiam reis. Um deles era muito mau, era perverso, era doente. Então, ele cometia atrocidades com quem pensasse diferente dele. Era um rei intolerante, mas isso há muito tempo. Um dia, surgiu um boato pelo povoado e chegou até os ouvidos desse rei maluco. Muitas pessoas sofreram consequências com as atitudes desse rei, algumas pessoas em especial”, afirma.
Dando mais algumas pitadas daquilo que quem ler o livro irá encontrar, Jociele destaca que toda a empáfia e prepotência do rei acaba custando caro no futuro. Para a escritora, o livro serve como ferramenta de explicação para as crianças sobre alguns fatos que ficaram marcados na história.
“Claro que o tempo passa e o tempo é implacável. Nem todo o poder que o rei tinha foi suficiente para conter as mazelas do tempo e aí acontece uma reviravolta e faz com que as coisas mudem. Acontece um imprevisto, vem essa reviravolta e é nesse exato momento que eu paro de contar a história e deixo o suspense para quem quiser conhecer mais. O que a gente pode tirar desse livro é que é uma oportunidade para a gente falar com as crianças sobre certos momentos que já aconteceram e talvez seja até um tabu, sejam coisas difíceis de se falar com as crianças, mas que por meio da literatura a gente pode conseguir isso. O incentivo à leitura de qualquer maneira é válido”, ressaltou, ao destacar que por mais que o brasileiro ainda leia pouco estatisticamente, as crianças compõem um dos públicos mais visados, seja pela produção de literatura infantil, seja pelo fomento às bibliotecas de instituições de ensino.

“Infelizmente no Brasil, os níveis de leitura ainda são baixos. Um brasileiro lê menos de quatro livros por ano. No entanto, felizmente as escolas têm tido essa preocupação cada vez mais e elas tem recebido apoio e verbas para investir em literatura, em bibliotecas para a própria escola. Nós percebemos que há de fato um desejo de que a leitura seja cada vez mais implantada e que seja incentivada ainda na escola. Mas, o incentivo tem que vir também de dentro de casa, do pai, da mãe, da família, isso é muito importante. Nós percebemos que quanto menor a criança, parece que o incentivo ainda é maior do que em comparação a adolescentes. Então, a gente fica feliz, porque é enquanto a criança está pequena ainda que a gente consegue incentivar e reforçar essa ideia de ler, o valor que a leitura traz para nós”, concluiu.

A Papelaria Ideias, local de lançamento do livro ‘A dita cura do rei’, está localizada na Avenida Ismael José do Nascimento, Nº 174-W, no Centro.