01/10/2018 07:12

Quantidade de visualizações: 226

Paulo César Desidério com Gilvan Melo

Fotos: Gilvan Melo - Rádio Pioneira

Aconteceu na manhã deste sábado (29), a 3ª edição da carreata em menção ao Setembro Amarelo. Acadêmicos, profissionais da área da saúde e apoiadores da campanha percorreram a Avenida Brasil para espalhar a mensagem da importância da campanha de prevenção ao suicídio, realizada este mês.

Idilaine Fonseca, coordenadora do curso de enfermagem da Universidade de Cuiabá (Unic), ressalta que esta é uma parceria entre a instituição e o Centro de Atenção Psicosocial (Caps).

“É realmente para conscientizar. A gente intensifica as campanhas durante o mês de setembro, mas lembrando que é durante o ano todo, pensar na vida sempre. Eu sempre falo para os nossos alunos que nós precisamos ouvir mais as pessoas. Está faltando muito também para de repente diminuir os índices de suicídio, parar e ouvir as pessoas, ouvir os relatos delas, os problemas delas para realmente tentar ajudar. A intenção é que ninguém desista da sua vida, que todo mundo valorize a vida e saber que os problemas podem ser resolvidos e que tem setores que tratam, que ajudam, que auxiliam nessa valorização, na resolução de alguns problemas que essas pessoas estão passando”, afirmou.

Os problemas de depressão e outras doenças que podem atingir pessoas de qualquer faixa etária ou grupo social. Idilaine lembra que há sim cura para o suicídio e que isso só é possível, graças aos órgãos que lidam diretamente com o público que sofre com tais doenças.

“Existe ajuda. Aqui no município de Tangará tem o CAPS, com profissionais capacitados para atenderem essas pessoas, então é saber que sempre tem um local que as pessoas podem estar indo, que tem um apoio, uma ajuda. Todas as pessoas que estiverem passando por algum sofrimento, algum tipo de angústia, que procure ajuda com profissionais ou com pessoas mais próximas que possam estar orientando”, pontuou, ao dizer que se sente honrada por participar da campanha que busca salvar vidas.

“Me sinto gratificada porque a gente consegue disseminar essa conscientização para um número maior de pessoas. Eu enquanto educadora, enquanto profissional da saúde que já trabalhou também na parte de assistência, acho que a gente consegue contribuir de maneira mais eficiente para a resolução de alguns problemas de ordem psicológica ou mesmo psicossocial das pessoas”, observou.

Tangará: Carreata fechou programação do Setembro AmareloTangará: Carreata fechou programação do Setembro AmareloTangará: Carreata fechou programação do Setembro AmareloTangará: Carreata fechou programação do Setembro AmareloTangará: Carreata fechou programação do Setembro AmareloTangará: Carreata fechou programação do Setembro AmareloTangará: Carreata fechou programação do Setembro AmareloTangará: Carreata fechou programação do Setembro AmareloTangará: Carreata fechou programação do Setembro AmareloTangará: Carreata fechou programação do Setembro Amarelo