25/09/2018 13:08

Quantidade de visualizações: 230

Paulo César Desidério com Asis Wébio

Foto: arquivo Pioneira

O problema vivido diariamente por funcionários e alunos da Escola Plena Estadual Ramon Sanches Marques foi motivo de manifestação recentemente em Tangará da Serra. A ausência do posto de transformação no sistema elétrico do prédio da escola emperra a instalação dos aparelhos de ar condicionado que estão guardados ainda nas caixas em uma sala da instituição de ensino.

A Câmara Municipal de Vereadores de Tangará da Serra conta com dois professores no parlamento: Vagner Constantino (PSDB) e Sebastian Ramos (PSB). A reportagem da Rádio Pioneira conversou com os dois a respeito da situação. Embora seja uma escola estadual, ambos relataram que fazem o acompanhamento da situação e que fizeram cobranças junto à gestão estadual.

“Está tudo pronto para ser licitado, mas é até lento esse processo licitatório porque é de um lote que está por último e não é nem problema do estado licitar, é problema da empresa que ganhou a licitação, depois ela não conseguiu entregar. É uma quantidade muito grande de postos de transformação, teve que cancelar porque a empresa não dava conta de fazer, fez outra licitação e agora a empresa está nos trâmites finais para autorizar”, contou Vagner.

A diretoria da escola e o Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar (CDCE) formaram uma Comissão de Pais, que também seguem cobrando a Secretaria Estadual de Educação (Seduc). A situação se arrasta por meses, fato lamentado por Vagner.

“Estão desde o começo do ano na luta para resolver esse problema. Isso afeta a questão da climatização da escola, questão de água, de tudo, mas é uma dificuldade que vejo que vai ser superada o mais rápido possível. Estamos cobrando isso da Seduc, já cobrei isso enquanto vereador, o deputado Saturnino já cobrou isso também e a gente pode ir até lá, mostrar que é questão de trâmites burocráticos. Não tem como pôr posto de transformação enquanto não tiver com a empresa contratada e licitada. Esse que é o problema”, disse.

Sebastian Ramos, que é presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal de Vereadores, também lamentou a condição vivida pelos alunos.

“Nós temos recorrentes cobranças junto ao governo do estado, à Secretaria Estadual de Educação, de que ela, dentro de seus limites e programações, consiga contemplar os serviços que forem necessários na rede de infraestrutura aqui das escolas da nossa cidade. Esse tema, salvo engano, já está sob a tutela da assessoria pedagógica em Tangará da Serra. Segundo informações extraoficiais, eles já estão em busca de articular e acelerar esse processo de resolver esse problema vivido na Escola Plena Ramon Sanches Marques no tocante a esses condicionadores de ar e o nosso desejo é que o problema seja resolvido o mais breve possível”, afirmou.

Por fim, Sebastian destaca que por mais que a corrida eleitoral complique a celeridade de algumas medidas por parte do governo, a situação já vem acontecendo desde o primeiro semestre deste ano, sem que as providências necessárias fossem tomadas.

“Nós sabemos que o período eleitoral é impeditivo a algumas ações, mas nem por isso precisa se prolongar muito mais do que já está prolongado esse serviço que é direito da comunidade escolar da Escola Plena Ramon Sanches Marques com relação aos condicionadores de ar, tendo em vista que o nosso clima está exageradamente mais quente nos últimos meses e tenho certeza que é uma necessidade urgente. Portanto, me comprometo aqui também de me esforçar na cobrança a fim de que esse assunto seja o mais breve resolvido”, concluiu.