10/08/2018 07:18

Quantidade de visualizações: 713

Rádio Pioneira com Gazeta Digital

José Bonifácio Nascimento de Barros, 34, dado como morto durante um confronto com homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) nesta quarta-feira (8) está vivo. Ele foi apontado como um dos envolvidos no assalto ao Banco do Brasil, em Brasnorte. Nesta quinta-feira (9) o homem, que cumpre regime aberto, se apresentou no Fórum de Cuiabá para informar que não morreu. Garante que estava trabalhando.

Junto com a defesa, feita pelo advogado Marcelo Felício Garcia, José Bonifácio procurou o juiz Geraldo Fidelis, da Vara de Execuções Penais, para prestar esclarecimento sobre o caso por receio de ter um novo mandado de prisão expedido por conta do crime atribuído ao reeducando ou ainda ter os documentos cancelados pelo óbito.

Atualmente, o homem que é condenado pelo crime de assalto a banco e cumpre pena há 5 anos está em regime aberto e, conforme Garcia, o cliente estava trabalhando em uma empresa da família, localizada no bairro Jardim Cuiabá, na quarta.

“Ele presta serviço na empresa e também mora no mesmo bairro. Ele estava com medo de decretar uma nova prisão, uma vez que ele está há 5 anos entre regime fechado e aberto. Então fomos até o juiz e mostrar o equivoco das informações veiculadas”, disse Marcelo ao Gazeta Digital.

Entre os requerimentos da defesa, o advogado pediu para que o Comando Geral da Polícia Militar informe qual o suposto envolvimento do cliente com o assalto ao banco de Brasnorte e como o nome se chegou a identificação de José Bonifácio.

Arquivo Pessoal

Marcelo Felício chegou a relatar que a mãe do cliente chegou a passar mal ao saber da morte do filho, noticiado pela imprensa.

Além da condenação por assalto a banco, José Bonifácio possui outro processo ao qual responde em liberdade por crime de organização criminosa. Como cumpre a prisão em regime aberto, ele não usa tornozeleira.

Em atendimento ao pedido da defesa, o juiz Geral Fidélis determinou que os policiais militares e civis envolvidos na ação informem como o nome de José Bonifácio Nascimento de Barros foi parar no caso e de quem se trata o corpo do homem morto no confronto policial.

A morte

A morte de José Bonifácio foi anunciada pela Polícia Militar. Segundo a PM, ele e Roney Matos de Oliveira, 22, morreram baleados durante confronto com o Batalhão de Operações Especiais(Bope) no Distrito de Catai, localizado em Juara (709 km a médio-norte da Capital).

O confronto aconteceu a quase 170 quilômetros da Brasnorte, após a dupla, que estava em uma caminhonete S10 sem combustível, tentar roubar uma motocicleta para continuar a fuga. A vítima conseguiu fugir e avisar a PM.

Na cidade desde o dia da tentativa de roubo ao banco, equipes do Bope iniciaram as buscas e encontrou os suspeitos que não obedeceram a ordem de rendição e atiraram contra os policiais que revidaram a ação.

Nomes falsos

A assessoria da Polícia Militar afirmou que os dois nomes divulgados primeiramente, José Bonifácio Nascimento de Barros, 34, e Roney Matos de Oliveira, 22, eram falsos. O real identidade dos dois assaltantes mortos no confronto é Cleyton Lins, 29, e Kelton Richer da Silva Freitas, 28.

De acordo com a PM, os criminosos tinham várias identidades com nomes de outras pessoas, o que dificultou inicialmente a descoberta dos nomes verdadeiros.