31/07/2018 07:20

Quantidade de visualizações: 123

Rádio Pioneira com Gazeta Digital

A 6 dias do prazo final para definição das candidaturas ao pleito deste ano, o futuro político do deputado estadual Mauro Savi (DEM) ainda é incerto. Preso desde 9 de maio, quando foi alvo da 2ª fase da Operação Bereré sob acusação de liderar esquema de propina no Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MT), o parlamentar está impedido de trabalhar junto às bases e não se sabe se estará solto durante o período de campanha.

Marcos Lopes/ALMT

Deputado Mauro Savi

A assessoria do parlamentar não fala sobre o assunto e, no âmbito do partido, o presidente estadual do DEM, deputado federal Fábio Garcia também não tem informações sobre o projeto do correligionário.

“Tem que haver decisão da posição do deputado sobre candidatura. Se houver, o foro adequado é a executiva do partido. Eu, como presidente, tenho a obrigação de levar isso até a executiva e o farei assim que chegar até mim”, disse em entrevista à Rádio Capital FM, nesta segunda-feira (30).

Garcia ressaltou que o prazo para a definição, no caso do DEM, é até o próximo sábado (4), quando está marcada a convenção estadual do partido. O prazo final determinado pela Justiça eleitoral é domingo, 5 de agosto. “É durante a convenção que a gente vai bater o martelo sobre quem será candidato”.

Mesmo sem contar com Mauro Savi, a legenda ainda não tem chapa proporcional estabelecida, o que ainda depende da composição com outras agremiações. Fábio Garcia afirmou que ainda conversa com partidos da chamada “frentinha” e outros, além do PSD, PDT e MDB, que já estão aliados, para depois fechar os nomes que concorrerão à Câmara dos Deputados e à Assembleia Legislativa.

A ideia é fazer uma “chapão” para deputado federal e outro pra deputado estadual. “Estamos ainda trabalhando nisso e só vamos tomar decisão quando soubermos quantos partidos estão conosco, quais são os candidatos de cada partido pra poder acomodar as expectativas de cada partido e de cada candidato”, afirmou Garcia.