31/07/2018 07:15

Quantidade de visualizações: 168

Rádio Pioneira com G1/MT

Aviários de Nova Marilândia estão sem receber animais há seis meses (Foto: TVCA/Reprodução)

Vinte aviários de Nova Marilândia, a 261 km de Cuiabá, foram fechados ao longos dos últimos seis meses por falta de veterinário para fazer uma inspeção diferenciada exigida pelo Ministério da Agricultura (Mapa).

Conforme os produtores, a indústria que integra 50 avicultores da região tem apenas um médico veterinário autorizado para fazer as inspeções, mas o profissional pode responder por apenas 30 unidades. Ou seja, outras 20 granjas estão sem inspeção e sem prazo previsto para voltarem a alojar animais.

A empresa BRF se reuniu com os representantes da Associação de Avicultores e fez um proposta para o pagamento de diárias, mesmo com os aviários fechados. Porém, os produtores não aceitaram, porque consideraram baixo o valor oferecido. Agora, eles aguardam uma nova reunião.

Com o aviário vazio, a produtora Maria de Lourdes Costa - que há nove anos trabalha com a criação de frangos - está preocupada com o futuro. Ela parou de receber os animais para a engorda após uma mudança na norma do Mapa, que passou a exigir uma inspeção veterinária diferenciada nas granjas.

Aviários estão fechados há seis meses no oeste do estado

Aviários estão fechados há seis meses no oeste do estado

Ela conta que investiu R$ 15 mil para construir um espaço chamado barreira sanitária, mais uma exigência da empresa que fornecia os frangos para os avicultores. Agora, ela não sabe como vai cobrir o gasto, pois está há quatro meses sem atividades no local e vive da aposentadoria.

"Devo o banco, a casinha que eles mandaram fazer e que nem foi usada, Pronaf, custeio e tudo que a gente tirou para adequar aqui", disse.

Com as novas regras, também foi pedido aos criadores que fizessem algumas adequações de bioseguridade - com lugar para que o veterinario examine os animais. Para isso, a produtora chegou a trocar as lonas e a instalar bebedouros automáticos na granja.

O presidente da Associação dos Avicultores de Nova Marilândia, Paulo César Barbosa, entrou em contato com a indústria. Segundo ele, por enquanto, não existe uma previsão para que um veterinário seja disponibilizado para atender os aviários que estão sem funcionar.

Com isso, segundo ele, a economia de toda a cidade é atingida. "O pequeno produtor que gasta o seu dinheiro na cidade, ele quem leva o benefício a todos e, principalmente, para a família dele. Se ele não produz, não tem como comprar, como vender", afirmou.

Muitos avicultores tem a criação de frangos como única fonte de renda, como o Jailton Salustiano Santana que, enquanto espera, decidiu voltar a trabalhar na lavoura pra sustentar a família.

"Agora vou ser empregado de novo. É a unica forma pra manter a família", disse.