10/07/2018 13:52

Quantidade de visualizações: 353

Paulo César Desidério com Gilvan Melo

Foto: Ilustrativa

Ouvintes procuraram a reportagem da Rádio Pioneira e fizeram reclamações sobre o preço do leite nos supermercados da cidade. É o caso da consumidora Marlene, que comprou uma caixa de 1L do produto por R$ 4,49 em um supermercado e estranhou o valor pelo qual o item vinha sendo comercializado.

Procurado, o coordenador do Procon de Tangará da Serra, Rossano Ferrari, ressaltou que a margem de preço mais alta é consequência da greve dos caminhoneiros, que fez com que a tabela de frete do produto sofresse um acréscimo.

“Esse caso do leite condiz com o frete. O frete teve aumento. Após a greve dos caminhoneiros, a tabela de frete subiu e passa pelos produtos. Não só o leite, vários outros produtos estão aumentando e o preço está chegando aos mercados com aumento”, disse.
Rossano declarou ainda que o preço do produto está de fato na faixa dos R$ 4,00, mas que os centavos a mais refletem na necessidade de lucro das mercearias e supermercados.
“O leite está chegando a R$ 4,05, R$ 3,99 no mercado, dependendo da marca. Se o mercado está vendendo a R$ 4,99, ele tem que ter um lucro também. Então, é fácil agora todo mundo criticar o aumento, mas não viram que foi através dos caminhoneiros e aquela greve”, complementou.

O Procon segue atento aos preços das mercadorias oferecidas nos estabelecimentos de Tangará da Serra. Mesmo que o valor assuste os consumidores, a constatação do órgão fiscalizador é de que não há abusividade no valor da venda do leite em Tangará da Serra.

“No mercado não está tendo abusividade. Já foi comprovado que não existe abusividade no leite”, concluiu.