10/07/2018 07:13

Quantidade de visualizações: 157

Paulo César Desidério com Asis Wébio

Manejo, culturas e custo de produção das helicônias. Estas foram temáticas abordadas no dia de campo desenvolvido nos campos experimentais do campus de Tangará da Serra da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) na última sexta-feira, 06. O evento atraiu estudantes e produtores e é uma realização do projeto MT Horticultura, parceria entre poder público e Unemat.

O secretário municipal de agricultura, Ander Santos, falou a respeito das helicônias, destacando a simplicidade do manejo do tipo de planta.

“A helicônia para quem não conhece é uma flor do cerrado adaptada aqui na nossa região, com uma alta produtividade, um manejo muito simples, que vem ganhando espaço nos arranjos e decorações, agregando renda em Tangará da Serra. Já é uma realidade, já temos vários produtores que produzem e dominam essa técnica e estão enviando esse produto para todo o estado”, afirmou.

Novos dias de campo do MT Horticultura acontecerão. De acordo com Ander, o objetivo é sempre mostrar novas possibilidades ao homem do campo.
“Teremos ainda outros dias de campo ainda este ano. O grande intuito é despertar no produtor novas culturas, novas possibilidades para que o produtor possa se identificar, e pela aptidão de cada um possa avançar diversificando o campo. O campo só sobrevive se tiver diversificação e, sobretudo, agricultura familiar. Nós temos que ter cada vez mais alternativas para o produtor e esse é o grande intuito do MT Horticultura”, pontuou.

Celice Alexandre Silva, doutora em botânica que se formou e especializou pela Universidade Federal de Viçosa em Minas Gerais, falou a respeito do nicho das helicônias, reforçando a ideia de que o trabalho do MT Horticultura foca no incremento da renda.

“São plantas extremamente adaptáveis, são plantas duráveis, bonitas, exóticas, de cores exuberantes, de formas exuberantes e que estão aqui ganhando mercado. O mercado está em ascensão, Mato Grosso reúne condições necessárias para cultivar, plantar e até exportar essas flores, então, nós temos tudo, todas as condições reunidas e estamos aqui apresentando mais essa alternativa de renda ao produtor rural”, destacou, ao apontar possíveis caminhos de vendas do produto.

“Essas flores são usadas em decoração de ambientes, decoração de festas, festas corporativas, está sendo bastante utilizada. Em detrimento das outras plantas como rosas, crisântemos, que também são utilizadas, essas têm uma característica bastante importante. Elas têm uma durabilidade bem maior, então isso agrega. Você pode ter um arranjo bem bonito dentro da sua casa. Alguns cultivares duram até 20 dias. O produtor além de produzir essas plantas podem ter uma outra alternativa que é a assinatura floral. É esse produtor fazer um arranjo floral e deixar exposto em hotéis, clínicas. Então, ele também agrega valor a este produto, podendo vender tanto a haste quanto o arranjo”, concluiu.

Dia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicôniasDia de campo na Unemat discutiu plantio e cultivo das helicônias