28/05/2018 08:31

Quantidade de visualizações: 197

Rádio Pioneira com Assessoria

Vereadoras Dona Neide e Sandra Garcia pedem ampliação da oferta, além de transporte dentro da capital.

A situação de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) que precisam se deslocar a Cuiabá para realização de hemodiálise e outros tratamentos e exames é mais delicada do que se imagina. Apesar de prefeitura de Tangará da Serra fornecer o translado à capital e uma casa de apoio para estada, há outros aspectos que implicam em enormes dificuldades aos pacientes, a maioria de baixa renda.

Nas duas últimas sessões da Câmara, as vereadoras Sandra Garcia (PSDB) e Dona Neide (MDB) externaram suas preocupações e reiteraram indicações já realizadas, respectivamente, ano passado e na legislatura anterior.

A vereadora Sandra Garcia destacou que as vagas no ônibus disponibilizado pelo município são insuficientes para a demanda. “Tem muito paciente que fica sem fazer seu exame porque falta vaga para ir a Cuiabá”, disse. “É preciso pelo menos mais um ônibus. Um paciente não pode perder um exame, uma consulta, uma radioterapia ou tratamento que já estão marcados”, completou.

Dona Neide, por sua vez, observa que o transporte de pacientes a Cuiabá ocorre porque o SUS se ressente da falta de várias especialidades em Tangará da Serra. “Temos muita gente que precisa ir a Cuiabá porque não encontra tratamento aqui. Então, suas vidas dependem destas idas à capital”, afirmou.

Em Cuiabá

Além do desgaste com a viagem, os custos que cada paciente precisa suportar com alimentação e medicamentos somam-se aos gastos com inevitáveis deslocamentos na própria capital. “Não sobra dinheiro para táxi ou ônibus se o paciente precisar ir a outros locais para outros exames e procedimentos”, disse Dona Neide, com quem a colega Sandra Garcia faz coro: “Se estes pacientes já estão debilitados pela doença e, às vezes, com dor, imaginem o sofrimento quando precisam ir de um ponto a outro em Cuiabá”, completou a vereadora tucana.

Para amenizar a situação, Neide e Sandra propõem a disponibilização de ao menos dois ônibus mais confortáveis para o translado Tangará-Cuiabá-Tangará e, também, o oferecimento de transporte específico dentro da capital.

Sandra Garcia reconhece que ficaria oneroso ao município manter uma estrutura própria, com veículo e motorista, para o transporte em Cuiabá. “É preciso estudar o caso e observar a questão orçamentária, mas acreditamos que este serviço pode ser contratado na própria capital, ou seja, terceirizado”, disse.

Dona Neide, por sua vez, afirmou que pretende levar o assunto diretamente ao secretário de Saúde, Itamar Martins Bonfim. “Vamos dialogar e tentar buscar uma solução”, anunciou a vereadora do MDB.

A propositura de Neide e Sandra é apoiada pelo vereadores Carlinhos da Esmeralda (PSC) e Niltinho do Lanche (MDB), que também assinaram a Indicação 452/2018, já apresentada ao Executivo. O presidente da Câmara, Hélio da Nazaré (PSD), também apoia a iniciativa.