23/05/2018 13:38

Quantidade de visualizações: 258

Paulo César Desidério com Gilvan Melo

O vereador Ronaldo Quintão (PP) fez cinco indicações voltadas ao esporte amador de Tangará da Serra. As solicitações foram apresentadas na tribuna da Câmara Municipal de Vereadores de Tangará na sessão do dia 15. Em geral, todas as solicitações são para o setor do esporte no município.

“Fizemos indicações para o secretário atender as pessoas da região da Vila Esmeralda. Essas reivindicações foram reiteradas, foram feitas ano passado e algumas foram feitas em 2015 quando assumi aqui no lugar da Azenate na gestão do próprio prefeito Fábio”, disse Quintão.

As indicações pedem o calçamento em torno do campo de futebol da Vila Esmeralda, a melhoria da quadra de areia e da quadra poliesportiva da praça da Vila Esmeralda, a melhoria das quadras de bocha e malha que também existem anexas à praça. O vereador solicita ainda que o Executivo faça uma quadra de areia no Jardim Figueira, outra no Bela Vista, e implantação de academias ao ar livre no Jardim Presidente e no Jardim Monte Líbano.
“Essas indicações que nós fizemos voltadas para o esporte, nós as reiteramos todas nesse momento para que o secretário de esportes saiba que a comunidade da Vila Esmeralda está ciente de nossa cobrança em favor daquela região”, pontuou.
O vereador também pediu que o Campeonato Municipal Rural, realizado no ano passado, tenha uma nova edição em 2018. Quintão também requereu que a Gleba Triângulo receba uma academia ao ar livre.

Quintão criticou a forma como o projeto que autorizou a contratação de profissionais para atuarem junto da secretaria de esportes foi enviado à Câmara. Para ele, uma prova deveria ser aplicada para que, a partir do resultado, os profissionais sejam admitidos pelo poder Executivo.

“Na penúltima sessão a Câmara aprovou um projeto de lei onde deu condição para que o secretário contratasse quatro pessoas. Infelizmente eu digo que essas pessoas serão contratadas sem o teste seletivo. O teste seletivo daria condições para ter uma forma de contratação mais isonômica. A pessoa passaria a ser contratada por sua habilidade, sua capacidade, não pela indicação de alguém ou por um interesse. Dá até para ter uma interpretação dessa maneira que essa pessoa contratada possa vir a ser um cabo eleitoral no futuro. Com esse fito, tentamos fazer uma emenda para melhorar a lei dando a contribuição para o executivo, que é o que nós fazemos na casa de leis, só que foi reprovada nossa emenda. Mas, o projeto para dar condição para o secretário contratar as pessoas que vão auxiliá-lo foi aprovado”, declarou.