11/05/2018 07:21

Quantidade de visualizações: 267

Marlenne Maria com Gilvan Melo

A Campanha nacional de vacinação contra a febre aftosa iniciou no dia 02 de maio. Nesta primeira etapa é obrigatória a imunização de todos os bovinos e bubalinos, de mamando a caducando, com exceção para os animais de propriedades localizadas no baixo pantanal mato-grossense. Em torno de 29 milhões de animais devem ser vacinados no estado nesta etapa.

A última ocorrência de febre aftosa em Mato Grosso foi registrada em 1996. E desde o ano 2000, o estado é reconhecido internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa com vacinação, e desde então o estado tem mantido o status sanitário. Em maio deste ano, o Brasil será reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), como país livre de febre aftosa com vacinação.

Nelson Vicentin, Médico Veterinário do INDEA de Tangará da Serra disse em entrevista à reportagem da Rádio Pioneira que a vacina já está disponível nas revendas. O produtor deve fazer a aquisição da vacina e aplicar, relacionando todos os animais por faixa etária.

Depois da vacinação a relação dos animais vacinados deve ser entregue no INDEA junto com a nota fiscal de compra das vacinas para fazer a comunicação da vacina. “Lembrando os produtores que pode ser feita durante todo este semestre a vacinação contra a brucelose nas bezerras de três a oito meses. Lembrando que a partir deste ano é obrigatório apenas o dígito 8 na marcação das bezerras do lado esquerdo da cara. Antes era V8 e a partir deste ano é só o 8. No ano que vem 9 e assim por diante”, explicou Vicentin.

A compra das vacinas deve ser feita até 30 de maio, porque dia 31 é feriado. E a comunicação pode ser feita até o dia 11 de junho junto ao INDEA.

Expectativa Positiva

Como em anos anteriores, Tangará da Serra espera manter ou elevar o índice de vacinação. “Esperamos chegar a 100% do rebanho vacinado até o final da campanha. Aqueles que não vacinarem ou não comunicarem a vacina ficarão com as fichas bloqueadas. Não poderão comercializar os animais e podem sofrer sansões previstas em lei com multas e vacinação assistida”.

O veterinário lembrou também que a GTA - Guia de Transporte dos Animais não é emitida para quem não vacinar. “Pedimos muita atenção dos produtores, tanto com a aftosa quanto à brucelose para que não tenham problemas”.

Cuidados

O INDEA alerta ainda para que o produtor fique atento aos cuidados ao realizar a vacinação do rebanho, como comprar vacinas somente de revendas registradas; manter as vacinas na temperatura correta entre 2°C e 8°C; manter a vacina no gelo até o momento da aplicação, respeitando a medida de 3 partes de gelo para uma de vacina; lembrar que a higiene e a limpeza são fundamentais; agitar o frasco antes de usar e aplicar a dosagem de 5 ml em cada animal; aplicar na tábua do pescoço, embaixo da pele.