11/05/2018 07:15

Quantidade de visualizações: 100

Rádio Pioneira com G1/MT

Os professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) aprovaram indicativo de greve da categoria, em apoio ao movimento estudantil que critica as alterações na política de alimentação do Restaurante Universitário (RU). A decisão foi tomada em assembleia geral realizada na terça-feira (8).

Segundo a Associação dos Docentes da UFMT (Adufmat), foram 99 votos favoráveis, 81 contrários e oito abstenções, considerando os votos dos campi de Cuiabá, Sinop, Araguaia e Várzea Grande. Uma nova assembleia foi marcada para o dia 15, quando será discutida a deflagração da greve.

Os professores afirmam que a mudança na política de alimentação da univeridade é apenas um dos problemas enfrentados pela instituição atualmente, mas ressaltam a necessidade de discussão sobre cortes de recursos e as ações propostas pela administração, bem como criticaram a emenda constitucional que limitou os recursos da educação por 20 anos.

Duirante a assembleia, a categoria também aprovou a formação de comissões para a criação de uma agenda de atividades para dialogar sobre a importância da greve com a comunidade acadêmica nesse período.

Greve dos estudantes

A greve dos estudantes da UFMT por tempo indeterminado foi decidida em assembleia geral realizada na terça-feira (8). Eles são contra a mudança na política de alimentação e cortes no orçamento da instituição e ocupam campus em várias cidades, inclusive em Cuiabá.

Mudança no RU

De acordo com UFMT, os alunos com renda superior a R$ 1,4 mil passarão a pagar, a partir de março deste ano, o valor integral do vale-refeição.

Outros estudantes em situação de vulnerabilidade econômica terão parte do valor subsidiado pela instituição.

Atualmente, os estudantes de todos os campi pagam R$ 0,25 pelo café da manhã e R$ 1 para almoço e jantar. Os valores seriam reajustados para R$ 5 o almoço e a janta e para R$ 2,50, o café da manhã.