24/04/2018 07:32

Quantidade de visualizações: 1350

Paulo César Desidério com Gilvan Melo

Foto: arquivo Pioneira

Por meio de coletiva de imprensa, a Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra, através do setor de Vigilância Epidemiológica divulgou o resultado do exame de verificação sobre um óbito relacionado ao vírus Influenza no município. A causa da morte da mulher de 36 anos por síndrome respiratória aguda grave no último dia 08 de abril, conforme o exame, foi Influenza B.

A coordenadora do setor, Juliana Herrero, lembrou que o subtipo do vírus está incluído na imunização da vacina, que passou a ser aplicada para o público prioritário nesta segunda-feira (23).

“O exame veio confirmando Influenza B. Então, foi realmente um óbito por Influenza. Não Influenza A H1N1, nem H3N2, mas Influenza B. Lembrando que esse subtipo de Influenza contém na vacina. Por isso é tão importante reforçar esses grupos de risco, porque é uma doença que pode ser prevenida pela vacina. Então, faço o alerta para a população de risco que tem que vacina”, afirmou.
A vítima do óbito não saiu do município, o que evidencia que o vírus foi, de fato, contraído na cidade. Juliana lembra que, apesar da circulação do Influenza, é indispensável que sejam tomadas as medidas básicas de higiene.

“Ela não viajou, não saiu do município, mas o local onde ela trabalhava é de grande circulação de pessoas. Por isso que faço um alerta. Não vamos a lugares muito aglomerados, vamos ter cuidados com higienização”, acrescentou a coordenadora.

Juliana rebateu algumas críticas feitas em redes sociais, em razão da recomendação da Secretaria Municipal de Saúde, pelo uso constante do álcool-gel nas escolas. A enfermeira explicou que o produto é indispensável para evitar a contaminação do vírus.

“Algumas pessoas até fizeram muita crítica porque eu estava pedindo para as escolas usarem álcool-gel. O álcool-gel é extremamente eficaz, porque a gente não tem a possibilidade de toda hora estar lavando as mãos. Então, o álcool nos ajuda e essa é uma medida muito importante principalmente em escolas, as crianças compartilham objetos e a gente não quer mais óbitos em Tangará. Tangará não quer”, disse.

Vacinação

O primeiro dia de vacinação contra o Influenza em Tangará da Serra foi avaliado positivamente pelo setor. Só na unidade da Clínica da Família, no centro, até a tarde desta segunda-feira, mais de mil doses já haviam sido aplicadas. Isto é, sem contar as outras unidades em que a vacina era oferecida

Juliana Herrero ressaltou que acredita que a primeira remessa, encaminhada pelo Ministério da Saúde e Governo do Estado, deva acabar já hoje (24).

“Hoje já teve uma procura muito grande nas unidades. Só nessa unidade nós já fizemos mais de mil doses hoje e ainda vai se estender até as 08 horas a vacinação aqui e acredito que até esta terça (24), não tenha mais vacina em Tangará. Vamos ter que esperar uma nova remessa que o Ministério ainda não nos informou que dia será essa nova remessa”, destacou.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica fez um apelo para que aqueles que ainda não se vacinaram tenham paciência para a chegada da segunda remessa, que ainda não tem previsão.

“Vou pedir para a população, que tenha um pouco de paciência. Não é um problema de Tangará. A vacina é de responsabilidade do Ministério da Saúde. É ele que compra, ele que distribui e nós recebemos 7150 doses. Só nesta unidade [Clínica da Família], hoje nós vacinamos mais de mil pessoas. Então, acredito que terça à tarde, não haverá mais vacina em nenhuma unidade de Tangará da Serra. O estado não nos deu previsão. Liguei informando a confirmação do óbito, porque recebi o resultado e eles, mesmo com a confirmação do óbito, não puderam nos informar quando vai chegar uma nova remessa”, pontuou, ao frisar que os horários de vacinação foram estendidos.

“Nós estendemos a vacinação no horário do almoço, vamos estender até o horário do almoço. Vamos estender até as 08 horas da noite. Vamos estender enquanto tiver a vacina, porque a gente quer a população imunizada e não queremos mais óbitos em Tangará da Serra”, encerrou.

O município de Tangará tem seis casos notificados até o momento. Um deles é de Campo Novo do Parecis. Um confirmou a circulação do vírus. Os demais, ainda não tiveram a conclusão dos exames laboratoriais para divulgação.