20/04/2018 07:59

Quantidade de visualizações: 293

Paulo César Desidério com Gilvan Melo

O Centro de Formação e Atualização Profissional (Cefapro) recebeu no dia de ontem (19) o 3º Encontro de Diversidade Étnico-Racial de Tangará da Serra. O evento reuniu alunos de escolas, professores e coordenadores, que ouviram palestras sobre a temática, viram de perto trabalhos desenvolvidos pelos indígenas e contemplaram a apresentações culturais. O encontro ocorreu exatamente no Dia do Índio.

De acordo com Neli Rodrigues, coordenadora da Semec, o evento acompanha cumprimento de lei de valorização dos povos indígenas.

“Esse é um trabalho que nós já viemos desenvolvendo há três anos que é da formação continuada do município e a secretaria tem essa preocupação de trabalhar a lei Nº 11.645 onde hoje o foco é o dia do Índio. Esse trabalho é muito importante, onde eles se sentem bastante valorizados, onde eles podem mostrar a cultura deles e também fazer um intercâmbio com o homem branco”, afirmou.
Para Neli, a participação das crianças demonstrou o interesse delas em conhecer mais a respeito da cultura indígena e suas peculiaridades.
“Como a gente pode perceber as crianças aqui da cidade, das escolas, se sentem bastante atraídas por esse tipo de evento e com isso também faz que haja essa integração. Professores hoje já me procuraram para fazer esse intercâmbio, inclusive ir até a aldeia. 51% das terras é dos indígenas e nós temos que ter essa proximidade, nós temos que ter esse trabalho que é muito bonito, muito gratificante ver esse desempenho deles e aprender da cultura indígena também”, disse.

Houve apresentações de indígenas das aldeias Rio Verde e Formoso, mostra de trabalhos desenvolvidos nas aldeias e pintura indígena nas crianças, que formaram uma longa fila para ficarem com as marcas que os índios utilizam.
“Eles vieram nos presentear com a sua presença e também com mostra de algumas coisas que eles prepararam também, inclusive a pintura nas nossas crianças. Isso é muito importante, é uma coisa que eles gostam muito e o aprendizado que eles têm aqui é uma coisa que não esquecem jamais”, disse, ao detalhar que a pigmentação utilizada na pintura é extraída do jenipapo.
Claudemiro Zanoezokae, que palestrou durante o evento, revelou estar alegre por poder tratar sobre a temática da cultura indígena em pleno dia do índio.
“A pedido do Cefapro nós viemos fazer um intercâmbio, uma conversa franca com os alunos, professores e coordenadores e teve como objetivo principal quebrar as barreiras entre indígenas e brancos, principalmente os alunos que são os futuros líderes da sociedade. Um trabalho bem didático, pedagógico. A gente destaca nas falas a questão da cultura indígena, educação indígena e territorialidade”, pontuou, ao frisar que a população de Tangará da Serra é um dos municípios que mais respeitam os indígenas de seu território em todo o país. Claudiomiro pediu respeito entre todas as raças.
“Temos uma aproximação muito grande com esse município e nós temos que nos aproximar ainda mais. Todos somos seres humanos. Indígenas, negros, estrangeiros. Nós temos que buscar meios de combater qualquer forma de discriminação, preconceito, através desses encontros, desses diálogos”, concluiu.

Cefapro sediou 3º Encontro de Diversidade Étnico-Racial em Tangará