17/04/2018 07:47

Quantidade de visualizações: 248

Paulo César Desidério com Gilvan Melo

Foto: Ilustrativa

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça Cível de Tangará da Serra enviou ao 7º Comando Regional da Polícia Militar uma notificação recomendatória. O documento sugere ações que priorizem proteção ao meio ambiente, especificamente em relação ao combate a queimadas, e usa como base treze considerações, assinadas pela promotora Claire Vogel Dutra.

A principal delas está relacionada ao alto índice de queimadas em Tangará da Serra, em especial nos períodos proibitivos. Os incêndios recorrentes geraram inquérito civil feito pelo Ministério Público em 2016.

A promotora recomenda que, quando em ronda, os policiais que verificarem existência de fumaça proveniente de queimadas devem se dirigir até o local com o objetivo de identificar o autor do crime e prendê-lo em flagrante. Outra recomendação é que seja dada a prioridade a atividades de repressão policial contra crimes de queimada no período de estiagem entre junho a outubro. Outra recomendação enviada pelo MP pede que os policiais façam comunicação imediata de qualquer foco de queimada à 3ª Companhia Independente do Corpo de Bombeiros de Tangará da Serra.

O 7º Comando Regional da PM tem, a partir da data de recebimento, 20 dias para dar resposta ao Ministério Público. Caso não haja resposta, o órgão tomará as medidas administrativas cabíveis.