27/03/2018 07:21

Quantidade de visualizações: 237

Rádio Pioneira com Gazeta Digital

Juíza Selma Arruda se filiará ao partido que atender suas 'exigências'

A juíza Selma Rosane Santos Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, afirmou que está avaliando convites de partidos políticos, mas vai se filiar apenas naquele que atender suas exigências. Segundo ela, se isso não ocorrer, ela vai “feliz para casa, descansar”.


Selma avalia partidos e vai se filiar ao que atender suas ‘exigências’

A magistrada deu entrada ao pedido de aposentadoria na última semana e a presidência do Tribunal de justiça de Mato Grosso (TJMT) já emitiu um parecer autorizando a concessão da aposentadoria.

Somente após a obtenção da aposentadoria, segundo a juíza, é que ela vai decidir para qual partido irá. “Estou sendo procurada, mas estou estudando ainda. Minha aposentadoria ainda não saiu. Vou decidir a esse respeito só na semana que vem, quando a aposentadoria sair e se sair”, disse.

Até o momento, a sigla mais interessada em Selma é o Partido Social Liberal (PSL), que vem apostando todas as suas fichas na filiação dela para a disputa de uma das duas vagas ao Senado. O partido já fez um convite oficial à magistrada e baixou uma resolução proibindo a filiação de pessoas “delatadas” ou “envolvidas em corrupção”.

Essa seria uma forma de “agradar” a magistrada, que não nega que tem feito “exigências” aos partidos que a procuram. “Eu preciso sair do Judiciário para poder verificar os partidos e ver se algum deles se encaixa na minha exigência e, se não encaixar, eu vou feliz para casa também descansar, porque eu mereço”, assegurou.

Ainda segundo a magistrada, a preferência é para concorrer a uma vaga no Legislativo, já que sua intenção é o combate à corrupção. Nos últimos anos, a magistrada foi destaque por julgar políticos como José Riva e o ex-governador Silval Barbosa.

“Eu sempre disse que eu quero o Legislativo. Se for legislativo federal, por exemplo, de mudar a legislação que protege demais e é muito leniente com a corrupção. Agora, se for no legislativo estadual, eu acho posso dar minha contribuição sem qualquer problema”, disse.

A magistrada ressaltou ainda que não tem interesse em concorrer a cargos no Executivo, pois não “combina” com seu perfil. Apesar disso, afirmou que não possui “vaidades”.

“Combater a corrupção me atrai mais. Se me disserem: você vai ser vereadora lá em uma cidadezinha bem pequenininha e lá eu puder fiscalizar as contas daquele município, eu vou com muita honra. Não tenho vaidade”, encerrou.

A magistrada tem até o dia 7 de abril, conforme a legislação eleitoral, para se filiar caso queira concorrer a cargos eletivos no pleito de 2018. O último dia para os partidos e coligações apresentarem à Justiça Eleitoral os requerimentos de registro de candidaturas é 15 de agosto.

Veja o vídeo