20/03/2018 13:32

Quantidade de visualizações: 212

Paulo César Desidério - Redação Pioneira

A Associação Comercial e Empresarial de Tangará da Serra (Acits) divulgou um balanço da edição 2018 do Tangará Liquida, que ocorreu dos dias 07 a 10 de março nas lojas associadas, oferecendo descontos de até 70% aos consumidores. Com base no que tem ouvido da classe empresarial, a avaliação geral do presidente da entidade, Vander Masson, foi positiva.

“Foi muito positivo porque boa parte dos empresários participaram das promoções, queimando seus estoques. Então isso fez com que os consumidores fossem às compras. Nós temos conversado ainda com os nossos associados e a maioria tem passado que foi de forma positiva essa ação do Tangará Liquida deste ano”, afirmou.

Nesta edição, o horário especial de atendimento foi uma novidade. No sábado, o acréscimo foi um sucesso, como de costume. Nos outros dias, no entanto, o movimento entre as 18h00 às 20h00 não registrou bom rendimento.

“O horário estendido de sábado à tarde teve um feedback muito bom. No entanto, este horário especial de quinta e sexta com duas horas a mais, estendendo das 18 às 20 horas, com toda franqueza, não vejo de forma positiva. Não teve uma participação, os consumidores não foram às compras e isso talvez não seja bom para o empresário, porque aumenta os custos, tem remanejamento dos colaboradores e eu acredito que não foi tão viável”, ressaltou Vander.

Para a edição do ano que vem, o desafio da Acits será planejar novidades relacionadas ao horário de atendimento durante a liquidação. O presidente destaca que ouviu dos comerciantes que uma faixa de meia hora após as 18h00 pode ser suficiente para que os consumidores que estejam retornando do trabalho façam suas compras.

“O que alguns empresários comentaram é que de repente 30 minutos a mais só para poder dar uma conclusão, aquele fechamento de final de dia mesmo, um período menor só para concluir as vendas com mais tranquilidade. É importante a gente fazer essa análise para que na próxima edição a gente reveja isso. Nós representamos os empresários e vamos conversar mais com nossos associados para verificar se isso é vantajoso ou não. Mas tudo deixou claro que não é vantajoso. Então, vamos rever e na próxima edição solicitar o que for necessário para melhor atender o cliente no horário em que ele se sente bem. O importante é proporcionar satisfação em primeiro lugar aos nossos clientes”, frisou.

A crise

Pouco a pouco o consumidor brasileiro vai recuperando a capacidade de investimento. Com a instabilidade política respingando fortemente na economia nos últimos anos, economia se tornou palavra de ordem nas residências do país. Segundo Vander, os avanços já começam a aparecer.

“Toda aquele crise do ano passado e do ano retrasado retraiu demais, as pessoas seguraram. O cenário e os números das pesquisas estão mostrando este aquecimento em diversos setores da nossa economia. Para se ter ideia, não é o nosso caso aqui, mas os veículos, caminhões, tem pedidos para 90, 100 dias. Atrás desse crescimento vem os outros seguimentos, às vezes não com esse potencial que está o dos caminhões, mas as confecções e outros seguimentos da nossa economia tem reagido”, disse.

Dentre os segmentos que mais tem progredido em Tangará da Serra e em demais regiões do país é o da alimentação, como explica Vander.

“O segmento da alimentação está se mantendo desde o ano passado, mesmo em crise. Você vai a supermercados, mercearias e você percebe. É claro que as pessoas reduziram as compras ao essencial, mas é claro que este seguimento está mantendo a sua performance”, avaliou.