16/03/2018 13:23

Quantidade de visualizações: 89

Rádio Pioneira com Gazeta Digital

ois casos suspeitos para febre amarela, investigados em Cuiabá, foram descartados. A informação já consta da tabela da febre amarela, que tem sido divulgada quinzenalmente pelo Ministério da Saúde, em meio à epidemia da doença principalmente no Sudeste do Brasil.

Arquivo/GD

Mosquito Aedes aegipty é transmissor da doença


Desde que houve o alarme para a febre amarela, Mato Grosso tem ficado de fora dos locais de epidemia.Em Minas Gerais, de 1º de julho de 2017 a 13 de março deste ano, já foram 1.157 casos notificados, 415 confirmados, 294 estão em investigação e 130 mortes, de 300 no país. Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília são outros focos da doença.

Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá informa que há vacinação na rotina em postos de saúde, mas ressalta que é importante ligar antes para verificar em quais dias da semana equipe da unidade está imunizando e levar carteira de controle.

Na Vigilância Epidemiológica da Capital, a informação é a de que foram achados 24 macacos mortos em 2018. Segundo o Ministério da Saúde, eles vão para a Universidade de Brasília (UnB), para realização de exames.

Até agora não há laudos conclusivos. De acordo com a assessoria de imprensa da Saúde de Cuiabá, eles podem ter morrido de diversas causas e não necessariamente de febre amarela.

O telefone para remoção de animais mortos é o (65) 3617-1680. O pedido é que todos os casos sejam informados neste número.