16/03/2018 07:02

Quantidade de visualizações: 547

Marlenne Maria com Asis Wébio

Será uma visita técnica ao Campus Experimental da EMPAER, que acontecerá dia 20 de março a partir das 07:30. O evento é aberto a todos os interessados, em especial os pequenos produtores rurais.

Três gôndolas serão montadas para o encontro, mostrando cultivares de arroz, café e da fruta pitaia, apresentando novas tecnologias para os produtores de Tangará.

Destaque para o café, porque Tangará da Serra tem em sua história, a produção do café como um de seus principais produtos e é o único município da região incluso no programa Procafé, mantido em parceria entre a SEAF, EMPAER e Prefeituras do estado.

Em entrevista à Rádio Pioneira, o Engenheiro Agrônomo Leonardo Diogo Dias, integrante da equipe da EMPAER explicou que o café que fez história em Tangará não é o café que está sendo introduzido agora. Os primeiros colonizadores trouxeram o café Arábica, uma cultura, segundo ele, não totalmente adaptada à região, sofrendo com altitude, temperatura e falta de água no período de seca. “Por isso as lavouras foram definhando e hoje em dia sobram poucas lavouras amplamente produtivas deste café. Por isso a ideia de transferir a tecnologia deste café praticado pelo modelo clonal, já adaptado para nossas regiões e que tem possibilidade de boa produção”, explicou.

No encontro, será mostrado o Café espécie Canéphora, conhecido também como ‘Robusta’ ou clonal. É um café forte de Rondônia, que está sendo introduzido no Mato Grosso. “Este café sim, consegue ter boa produção na região. Já temos exemplos de produtores que estão plantando e o resultado das colheitas mostram que há como produzir com qualidade”, disse o Agrônomo.

Ele destacou ainda que o café é conhecido como Clonal por causa da modalidade de multiplicação. “Falamos de um café que não é plantado via semente. A muda é feita a partir de uma estaca da planta, por isso é um clone. Como é um clone, a planta nova terá as mesmas condições genéticas, produtividade e resistência da planta mãe. Estas variedades já foram estudadas até o lançamento e deram certo. Vamos multiplicar e os clones serão cópias destas plantas mães multiplicadas. É uma garantia de que as novas mudas conservarão a genética e terão as mesmas capacidades de produção”.

Segundo o Engenheiro Agrônomo, a produtividade depende do manejo. Estudos da Embrapa, que produziu esta variedade BR S Ouro Preto, conseguiram em Ouro Preto -Rondônia, sem irrigação, em torno de 70 sacas beneficiadas por hectare, segundo o Agrônomo. “A maioria dos nossos produtores não tem nem metade desta produtividade. Se tivermos uma lavoura bem conduzida, temos a possibilidade de chegar em torno desta produtividade. Mesmo que colha só 40 ainda é o dobro da média de Tangará, que está em torno de 20 por hectare”.

Pitaia

No evento, será mostrada também a fruta Pitaia, cuja produção a EMPAER está incentivando no município e região.“Estamos introduzindo a cultura no município de Tangará. Neste dia, teremos três produtos em apresentação: o café, a Pitaia e o arroz. Estamos ´pensando no mercado local, nas indústrias locais e nos grandes produtores, bem como com a votação para fruticultura e mais uma oportunidade para a agricultura familiar, com a pitaia”, explicou o Engenheiro Agrônomo Wellington Procópio, também integrante da equipe da EMPAER.

Ele ressaltou que a pitaia é uma fruta exótica originária da América Central, de alto valor comercial. No mercado local, varia em torno de R$ 38,00 a R$ 80,00 o quilo. “O consumidor até assusta no momento com o valor dela. É uma planta rústica, que a partir do momento em que se introduz técnicas de cultivo se torna altamente produtiva e tem grandes benefícios para a saúde. A pequena propriedade rural, com pequeno investimento pode ter mais uma alternativa de renda, não só pensando em sua segurança alimentar, mas também como fonte de renda para sua propriedade”.

O objetivo com o incentivo à cultura é aumentar a oferta para baixar o preço e possibilitar o acesso de toda a população. “Como é um produto escasso e a demanda está alta, o preço está elevado. Nós da EMPAER queremos aumentar a oferta e então, a tendência é baixar o preço. E popularizar a fruta: se tem grandes benefícios para a saúde queremos que pessoas de baixo e médio poder aquisitivo tenham acesso. Queremos que se produza. É bom que tenha margem de lucro e que o mercado absorva a produção”.

Palestra

Durante o encontro na EMPAER nesta terça, na estação da pitaia haverá palestra com uma nutricionista da equipe que explicará os benefícios da planta. Entre estes merecem destaque a ação antioxidante, anti-inflamatória, auxilia na digestão e a ajuda no controle de níveis de açúcar e colesterol.

​Pitaia, Café e arroz serão destaque em encontro de Transferência de Tecnologia em Tangará​Pitaia, Café e arroz serão destaque em encontro de Transferência de Tecnologia em Tangará​Pitaia, Café e arroz serão destaque em encontro de Transferência de Tecnologia em Tangará​Pitaia, Café e arroz serão destaque em encontro de Transferência de Tecnologia em Tangará​Pitaia, Café e arroz serão destaque em encontro de Transferência de Tecnologia em Tangará​Pitaia, Café e arroz serão destaque em encontro de Transferência de Tecnologia em Tangará​Pitaia, Café e arroz serão destaque em encontro de Transferência de Tecnologia em Tangará​Pitaia, Café e arroz serão destaque em encontro de Transferência de Tecnologia em Tangará