14/02/2018 13:14

Quantidade de visualizações: 349

Rádio Pioneira com Gazeta Digital

O pedreiro Marcelo Sales Pereira, 29, suspeito de ter matado a ex-mulher Izabel Aparecida do Amaral, 31, e esfaqueado o namorado dela, se apresentou à Polícia Civil de Juara (709 km a Médio-Norte de Cuiabá) e confessou o crime. Ele procurou a Polícia acompanhado de um advogado na última segunda-feira (12) e não ficou preso já que o perído do flagrante já havia expirado.

A vítima foi degolada enquanto tomava banho na casa dela no dia 7 deste mês. Já o namorado, Magno Aparecido Reato, 33, ficou gravemente ferido e permanece internado. Marcelo invadiu a casa, praticou o feminicídio e fugiu em seguida.

Conforme informações da Polícia Civil, o pedreiro foi ouvido e durante o interrogatório confessou o crime. Ao delegado Carlos Henrique Engelmann, que investiga o caso, Marcelo contou que apesar de ter se separado da ex-companheira ele matinha um relacionamento às escondidas. No entanto, a versão dele foi confrontada e o delegado confirmou que não procede.

No depoimento, o suspeito também relatou que morou com Izabel por 7 anos e que separaram após uma briga em dezembro do ano passado. O divórcio teria sido assinado no dia 30 de janeiro.

Apesar de confessar o crime, o suspeito foi liberado porque não tinha mandado de prisão contra ele.

O Caso - Testemunhas contaram que o homem não aceitava o fim do relacionamento e quando soube de um novo ato amoroso começou a proferir ameaças. Apesar das intimidações, a vítima ainda não tinha denunciado o caso na delegacia e apenas os familiares sabiam.

Segundo o boletim de ocorrência, a mulher estava em casa com o namorado quando foram surpreendidos pelo ex-marido da vítima. Ele arrebentou a porta da frente da residência e esfaqueou Izabel que estava nua no banheiro.

Magno foi esfaqueado várias vezes e mesmo ferido conseguiu sair da casa e pedir socorro dos vizinhos que acionaram o Serviço de Atendimento Móvel (Samu). Ele foi socorrido e levado para um hospital da cidade, já a mulher morreu ainda na cena do crime sem chances de ser socorrida.