08/02/2018 13:47

Quantidade de visualizações: 292

Marlenne Maria com Gilvan Melo

A doença ainda gera muito preconceito e medo. Entretanto, a orientação é que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível para evitar a continuidade da transmissão.

No último sábado, dia 03, a equipe da Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra realizou um mutirão muito bem-sucedido, com grande número de atendimentos, segundo a Coordenadora de Atenção Básica à Saúde, Gicelly Zanata.

Ela explica que os familiares dos pacientes diagnosticados com a doença também receberão atendimento. “Foi excelente o Dia D. Atendemos 167 pessoas. Destas, sete pessoas foram diagnosticadas e já iniciaram o tratamento. Passamos todas as informações sobre a transmissão da doença para que os familiares destes pacientes sejam também atendidos e acompanhados nas unidades de saúde mais próximas de suas casas”.

Gicely disse que o atendimento ao chamado em relação à prevenção da doença mostra que o preconceito está diminuindo. “É importante destacar que os cidadãos ouviram nosso chamado e aqueles que tinham alguma mancha ou região dormente procuraram ajuda, principalmente aqueles que já tiveram contato com alguém que teve a doença. Isso é muito importante, a população se conhecer, saber suas limitações e procurar ajuda o quanto antes. Não é pela doença que devemos nos afastar da sociedade. Isso mostrou que o preconceito está sendo diminuído e que as pessoas não têm mais tanto medo por causa da hanseníase”.

Ela explica que no dia a dia o diagnóstico da doença pode ser feito nas unidades de saúde. “E quem tiver receio de fazer agendamento em sua unidade de saúde, pode fazer no Posto Central que lá temos equipe também no setor próprio. É só ir lá pela manhã às 07:00 e fazer uma avaliação com o clínico. Se for constatada a doença já se inicia o tratamento, gratuitamente. Hanseníase tem cura e o preconceito também”, ressaltou ainda Gicely.