07/02/2018 07:33

Quantidade de visualizações: 354

Marlenne Maria com Gilvan Melo

O ano letivo começa com insegurança segundo a Presidente da Subsede do Sintep, Francisca Alda de Lima. Um dos pontos abordados por ela, são os constantes atrasos no pagamento dos salários dos servidores públicos estaduais.

“Atraso de salário no MT é um retrocesso de 30 anos. Nós, profissionais da educação já vivemos situação gravíssima e humilhante nos governos Campos e Bezerra”, disse Francisca, em entrevista à Rádio Pioneira.

Avaliando 2017, ela disse que para os trabalhadores em geral o ano foi de perda de direitos, com a reforma trabalhista e a lei do teto de gastos, que reduziu investimentos em saúde educação para os próximos 20 anos. “Vivemos em um cenário de retirada de direitos e em 2018 teremos um novo capítulo”, ressalta Francisca.

Dentre as conquistas, ela citou a realização do concurso público pelo Governo Estadual. “Estamos aguardando a posse dos aprovados em vagas livres no início do ano letivo de 2018. O Sintep entende que todos os que foram aprovados no concurso devem assumir”, afirma a Professora.

Ela destacou ainda que o Sintep MT está sempre buscando diálogo, mas diante da realidade atual, não descarta a realização de greve que pode ocorrer ainda no 1º semestre. “Esta é realmente a saída. Mas, a única arma que o trabalhador tem é a greve. Então, caso o Governador desrespeite a legislação e não cumpra com as obrigações, isto pode ocorrer. Todos têm belas promessas nas campanhas e depois não conseguem sequer pagar em dia os salários ou repassar RGA. Então, a arma do trabalhador é a greve. Se for necessário, os trabalhadores da educação vão cruzar os braços logo no início do ano letivo. Vai depender do Governador. Se for necessário, haverá greve sim, logo no 1º semestre letivo de 2018”.

Sede própria

Um desafio para a diretoria do Sintep Subsede de Tangará da Serra neste ano de 2018 é avançar na construção da sede própria da entidade. Segundo Francisca, o terreno doado à entidade pela Prefeitura Municipal de Tangará da Serra já está escriturado e a planta da obra já aprovada. “Já temos um patrocinador para nos auxiliar nesta construção da sede, que é a realização de um sonho de todos os filiados ao Sintep Tangará da Serra e agradecemos ao empresário João, do Arroz Kumbuca por este auxílio”, disse Francisca.