25/01/2018 07:57

Quantidade de visualizações: 157

Rádio Pioneira com G1/MT

A Justiça de Mato Grosso determinou nesta quarta-feira (24) o afastamento de Clinio Tomazi do cargo de vereador em Colniza, a 1.065 km de Cuiabá, por suspeita de irregularidades em contratos públicos e por supostas ameaças dele ao prefeito assassinado a tiros em dezembro do ano passado. O G1 não conseguiu localizar a defesa do parlamentar.

Além de Clínio, foram acionados na Justiça o empresário Maycon Furlam Requena, a mulher do vereador, Vera Lúcia Dias Tomazi e duas empresas. A reportagem não localizou a defesa dos citados.

A decisão da Justiça atende a um pedido do Ministério Público Estadual (MPE).


Prefeito de Colniza, Esvandir Mendes, conhecido como Vando Colnizatur, tinha 61 anos (Foto: Arquivo Pessoal)Prefeito de Colniza, Esvandir Mendes, conhecido como Vando Colnizatur, tinha 61 anos (Foto: Arquivo Pessoal)

Prefeito de Colniza, Esvandir Mendes, conhecido como Vando Colnizatur, tinha 61 anos (Foto: Arquivo Pessoal)

Segundo o órgão, o parlamentar é suspeito de ter feito ameaças ao prefeito de Colniza Esvandir Antônio (PSB), assassinado em dezembro do ano passado.

Além disso, a empresa da qual a mulher do parlamentar é sócia foi contratada emergencialmente pela prefeitura para a prestação de serviços de maquinário, no valor de R$ 324 mil.

Para o MPE, houve violação dos princípios da administração pública.

“Esvandir Antônio Mendes, vítima de homicídio no mês passado, relatou que sofreu ameaça do vereador Clínio quando exonerou alguns parentes deste da prefeitura, bem como fez cessar o serviço que era prestado", diz trecho da decisão.