22/12/2017 07:50

Quantidade de visualizações: 385

Rádio Pioneira com G1/MT

A secretária de Administração de Colniza, a 1.065 km de Cuiabá, Ana Franciely Mendes - que é filha do prefeito assassinado Esvandir Antônio Mendes (PSB), de 61 anos -, e o secretário de Finanças do município, Admilson Ferreira dos Santos, de 41 anos, - que foi baleado durante o atentado - deixaram os cargos e mudaram de estado.

Segundo informações da Prefeitura de Colniza, ambos decidiram voltar com as famílias para Rondônia após o assassinato do prefeito e ainda devem oficializar os pedidos de exoneração. Além deles, a chefe de gabinete do prefeito também deve pedir o desligamento do cargo, não tendo comparecido ao local de trabalho desde que o crime ocorreu.

Esvandir foi morto com vários tiros dentro da caminhonete dele, quando chegava da zona rural do município, no dia 15 de dezembro. Três homens foram presos no dia seguinte ao crime, sendo o empresário suspeito de encomendar o crime e participar da execução e os dois suspeitos de efetuar os disparos que mataram a vítima.

De acordo com a assessoria, a filha de Vando, como o prefeito era conhecido, foi embora do município com a família no mesmo dia em que o corpo do pai foi transladado para Ji-Paraná (RO), onde foi enterrado.

Já o secretário Admilson, que passou dias internado no Hospital Municipal de Juína, a 737 km de Cuiabá, após ser atingido com dois disparos, sendo um nas costas e outro no braço, decidiu retornar para o estado natal por não se sentir bem psicologicamente para continuar no cargo, conforme o município.

Prefeito foi perseguido e atingido por disparos quando chegava em Colniza (MT) (Foto: Arquivo pessoal)Prefeito foi perseguido e atingido por disparos quando chegava em Colniza (MT) (Foto: Arquivo pessoal)Prefeito foi perseguido e atingido por disparos quando chegava em Colniza (MT) (Foto: Arquivo pessoal)


O crime

O prefeito dirigia uma caminhonete preta e estava acompanhado do secretário de Finanças, quando os executores se aproximaram do veículo, a aproximadamente 7 km da entrada da cidade. Os criminosos efetuaram vários disparos contra o prefeito, que ainda conseguiu dirigir até o perímetro urbano.

O corpo de Esvandir foi sepultado em Rondônia no domingo (17). Primeiro, foi realizado um velório no sábado (16), no ginásio municipal de Colniza, e depois o corpo foi levado para Ji-Paraná (RO). Várias pessoas acompanharam o velório na cidade.

Localização do município de Colniza, onde o prefeito foi assassinado a tiros (Foto: Roberta Jaworski/G1)Localização do município de Colniza, onde o prefeito foi assassinado a tiros (Foto: Roberta Jaworski/G1)Localização do município de Colniza, onde o prefeito foi assassinado a tiros (Foto: Roberta Jaworski/G1)

O comerciante Celso Leite Garcia (PT) foi empossado como prefeito de Colniza na segunda-feira (18), após cerimônia na Câmara de Vereadores daquele município.

Suspeitos

O empresário Antônio Pereira Rodrigues Neto, que atua no ramo de táxi aéreo e de combustível e é apontado como o mandante do assassinato de Esvandir, e mais dois suspeitos do crime, foram presos quando estavam em uma estrada entre os municípios de Juruena e Castanheira, a 893 km e 780 km de Cuiabá, respectivamente.

Suspeitos foram presos por policiais do Garra e estão sendo interrogados (Foto: Harlis Barbosa/Arquivo pessoal)Suspeitos foram presos por policiais do Garra e estão sendo interrogados (Foto: Harlis Barbosa/Arquivo pessoal)Suspeitos foram presos por policiais do Garra e estão sendo interrogados (Foto: Harlis Barbosa/Arquivo pessoal)


No carro em que eles estavam no momento da prisão, a polícia encontrou R$ 60 mil, que seriam referentes ao pagamento pela execução de Esvandir. Ele foram indiciados pela Polícia Civil e estão presos na cadeia pública do município.

Eles devem responder pelos crimes de homicídio qualificado por motivo fútil, promessa de recompensa e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. A reportagem ainda não localizou o advogado do empresário. Os outros dois presos serão defendidos por um defensor público.