18/12/2017 12:17

Quantidade de visualizações: 450

Aline Schwaab - da redação Pioneira

O Vereador Fábio Brito, o Fabão, solicitou da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Vereadores informações sobre o Duodécimo de 2017.

“Nós fizemos alguns requerimentos, entre eles o que pede informações sobre o prognóstico do valor real do Duodécimo da Câmara de Vereadores de 2017, uma vez que a Câmara faz sua economia e no final do ano devolvemos ao executivo para que sejam feitas algumas ações. Nós sempre fazemos indicações e queríamos saber quanto vai ser esse ano até para poder propor indicações da população que nos procura”, disse.

Juntamente com o Vereador Vagner Constatino, o Vereador Fabão fez um requerimento ao Executivo Municipal solicitando a prestação de contas dos gastos com a iluminação pública de Natal no município.

“Também foi feito um requerimento pelo vereador Prof. Vagner que eu assinei, no qual pede informações detalhadas sobre o custeio com a iluminação do natal, uma vez que a crítica da população é muito grande em relação ao projeto, a execução, saber quanto foi gasto, porque não pode uma cidade do tamanho de Tangará da Serra ter uma decoração tão pífia em comparação com outras cidades. E a população quer saber quanto foi gasto”, salientou.

Fabão comentou também sobre a realização de sorteios de vagas para creches e escolas municipais. “Outra situação que a gente tem acompanhado é com relação a superlotação nas creches e escolas municipais, uma vez que são feitos sorteios para definir em quais escolas o aluno vai estudar. Mas daí a gente se depara com o orçamento da Educação sobrando recursos no final do ano sem saber o que vai fazer para gastar e com esse problema sério de falta de vagas. Eu não posso tapar os olhos, a população tem nos cobrado”.

O Vereador falou também sobre seu pedido de análise da água do SAMAE de Tangará da Serra.

“Outra situação é em relação ao Rotavirus que assola nossa cidade. Pelo que eu acompanhei esse vírus tem sim alguma ligação com a água, mas não se sabe se é com a água do SAMAE, uma das formas de transmissão é pela água também. Mas na oportunidade que eu fiz o pedido de análise da água, minha fala foi bem clara na tribuna, não foi irresponsável. Eu disse que pessoas da cidade que estavam com o vírus começaram a relacionar isso com a água, eu sabendo disso pedi uma análise da água para provar que não era a água, agora vamos aguardar. Mas alguns meios de comunicação tentaram deturpar a minha fala dizendo que sou irresponsável por causar tumulto, mas eu jamais fiz isso. Nós só queremos saber da qualidade da água da cidade, independentemente de ter vírus ou não. É uma preocupação minha e de muita gente aqui na cidade. Eu, enquanto vereador, jamais vou me calar, vou fechar os olhos ou tapar os ouvidos para as coisas que acontecem aqui em Tangará da Serra. Digo a toda a população que qualquer reclamação, duvida, cobrança, procure a Câmara de Vereadores e eu estou à disposição de todos para qualquer esclarecimento e qualquer fiscalização que seja do setor público municipal”, finalizou.