12/12/2017 13:38

Quantidade de visualizações: 143

Marlenne Maria com Gilvan Melo

Em entrevista à Rádio Pioneira o Presidente da Associação dos Professores da UNEMAT- ADUNEMAT Tangará da Serra, Professor Rogério Agñes disse que desta vez a greve anunciada não aconteceu porque o Governo do estado efetuou ontem o pagamento dos salários.

Ele explicou que a instabilidade tem sido sentida pelos servidores desde o início da atual gestão. “Desde que o Governo Pedro Taques assumiu, os servidores públicos têm passado por esta preocupação. Salário é uma coisa que não se mexe. Todo trabalhador precisa ter a certeza do dia do seu recebimento. Foi uma inconstância desde que ele retirou da pauta o calendário do pagamento que era feito nos governos anteriores que ele tanto fala mal. A gente tinha pelo menos a constância do pagamento no dia correto. Ele entrou e deixou esta situação: não temos um calendário para o ano todo. Foi deslocado o pagamento do dia 1º para o dia 10. Ainda que seja legal pagar no dia 10, ele tem passado os últimos meses atrasando os salários”.

O professor ressaltou que os sindicatos têm se mostrado fortes. “No mês passado houve atraso para algumas categorias de até 22 dias. Isso é inadmissível, porque os juros das contas atrasadas estão sendo pagos pelos trabalhadores. E o comércio também sente, porque os trabalhadores não conseguem cumprir com seus compromissos. Não tem como se não tiver um dia correto. Então, os sindicatos acenaram para a greve neste momento por conta destes atrasos”.

No último sábado (09), os Sindicatos de Técnicos e Professores fizeram votação decidindo que permaneceriam paralisados até que todos os servidores tivessem sido pagos. “Na data de ontem o governo anunciou o pagamento. No mês passado houve muito atraso. Ontem ele pagou os salários e então, nós estamos trabalhando. Desta vez não foi necessário que entrássemos em greve. Mas, estamos preocupados, porque sexta-feira ele anunciou que o repasse do Governo Federal não havia feito repasse e que não haveria dinheiro. De repente na segunda-feira ele fez o pagamento. O que aconteceu? Parece que ele realmente quer jogar a comunidade contra os servidores. Quem presta o serviço à comunidade somos nós os servidores”, afirmou o professor.

Rogério Agñes reafirmou que se houver novos atrasos haverá greve. “Não aceitamos este tipo de situação. Sempre que houver este tipo de atraso vamos fazer a greve. Isso realmente causa um atraso. É um desconforto para nós também, porque temos que repor as aulas. Mas, a culpa disto não é dos trabalhadores. É da má gestão que este governo vem fazendo desde que entrou”.