10/11/2017 13:50

Quantidade de visualizações: 177

Aline Schwaab com Gilvan Melo

Fotos: Gilvan Melo/ Rádio Pioneira

O manifesto aconteceu na manhã desta sexta-feira (10) na praça do antigo prédio da Prefeitura de Tangará da Serra.

De acordo com Prof. Rogério Anes, o manifesto acontece em todo o país contra a Reforma Trabalhista, aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo governo Temer (PMDB) e que passa a vigorar neste sábado (11).

“Hoje nós começamos o dia com café da manhã, intitulamos ‘café da manhã da resistência’, mais uma vez ocupando a ‘praça da resistência’ aqui no antigo SAMU. Esse espaço para nós tem sido um espaço de luta e mais uma vez estamos aqui reunidos. É um dia de paralisação acompanhando três frentes de trabalho, uma delas é acompanhando a convocação feita pelas centrais sindicais. Então hoje no Brasil todo está acontecendo uma mobilização como esta, cada um no seu município, cada um com o seu sindicato, tanto da iniciativa privada quanto do serviço público municipal, estadual e federal. O dia de luta de hoje é contra a reforma do Presidente Michel Temer colocou para os trabalhadores e trabalhadoras que retira diversos direitos conquistados na CLT e ao invés de implementar novos direitos, está tirando o que já está estabelecido há muito tempo. Nós como sindicatos não podemos deixar essa luta de lado. Nós, enquanto sindicalistas, temos que enfrentar essa luta, porque uma vez que ela atinge trabalhadores de qualquer esfera, ela pode atingir também trabalhador de qualquer serviço, seja iniciativa privada ou serviço público e isso pode chegar de uma maneira avassaladora para todo mundo. Nós não queremos que isso aconteça, a retirada de direito para nós não é permitida”, destacou.

A pauta do manifesto também somou duas pautas do Estado. “Somado à essa luta nacional, temos aqui em Mato Grosso duas lutas que também vamos lembrar no dia de hoje. O Governo Pedro Taques também quer implementar a retirada de alguns direitos, já passou Assembleia e foi aprovada em primeira instância a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) de teto de gastos que limita investimentos. Inicialmente era para congelar os investimentos por 10 anos, mas quando foi aprovada em primeira instância, ela mudou para 5 anos. Imagina o que é falta de investimentos no serviço público do estado por cinco anos. Se nós já temos alguns setores sucateados pelo governo, imagine senão tiver investimentos a mais para esses setores trabalhar. Isso vai fazer com que a sociedade passe a acreditar que é o trabalhador do serviço público que não está fazendo o seu trabalho direito, quando na verdade é a má administração que faz isso”.

Outra questão discutida no manifesto é com relação ao pagamento dos servidores. “O Governo também está anunciando que vai fazer dividir as categorias pagando cada uma em dias diferentes e segundo que a data limite com dispositivo legal é até o dia 10 de cada mês, então é hoje. Significa que hoje nós também estamos em alerta caso o servidor público ou uma parte do servidor público não receba no dia de hoje, nós já temos uma assembleia legal agendada para segunda-feira para novas tomadas de decisão, porque a partir de hoje passa a ser atraso. Nós não queremos que haja atraso nenhum, só estamos lutando pelos nossos direitos e direitos daqueles e daquelas que ainda virão para o serviço público”.

O professor deixou o convite à toda a população para que se junte à causa dos professores, servidores, trabalhadores do município. “A gente faz uma convocação para a sociedade como um todo. São os direitos de todo mundo que estão sendo tirados e as pessoas, muitas vezes, não estão percebendo isso, quando perceber já vai estar sofrendo a consequência da aprovação dessas novas medidas. Não queremos que isso aconteça, estamos nesse café aqui na praça para conversar e sensibilizar a população”.

Além do café da manhã, o movimento contou orientações sobre a proposta da reforma trabalhista.

​Tangará: servidores da Unemat realizam manifesto contra a Reforma Trabalhista​Tangará: servidores da Unemat realizam manifesto contra a Reforma Trabalhista​Tangará: servidores da Unemat realizam manifesto contra a Reforma Trabalhista​Tangará: servidores da Unemat realizam manifesto contra a Reforma Trabalhista​Tangará: servidores da Unemat realizam manifesto contra a Reforma Trabalhista​Tangará: servidores da Unemat realizam manifesto contra a Reforma Trabalhista​Tangará: servidores da Unemat realizam manifesto contra a Reforma Trabalhista