04/11/2017 07:48

Quantidade de visualizações: 244

Marlenne Maria - da Redação

O dia D da campanha estava marcado para este sábado (04) mas foi transferido em virtude da necessidade de recebimento de mais material, segundo a Coordenadora de Vigilância Ambiental, Izabela Gomes.

Em entrevista ao programa O Povo no Rádio da Pioneira, ela explicou que o adiamento não tem a ver com a greve dos servidores públicos municipais. Segundo a coordenadora, a equipe da Vigilância Ambiental continua aplicando vacinas na zona rural do município.

“Fez-se necessário adiar o dia “D” da campanha para melhor atender a população. O estado enviou uma nota na última segunda-feira, prorrogando a campanha até 30 de novembro. Estamos vacinando na zona rural desde o dia 1º de setembro e a zona urbana, atenderemos no dia 25 de novembro”.

Das 08:00 às 16:00 do dia 25, todas as unidades de saúde, à exceção do Parque Figueira, estarão com equipes vacinando. Também haverá vacinas disponíveis nas Escolas Gentila Suzin Muraro e Antenor Soares. “A única unidade que não terá vacinas será a do Parque Figueira porque achamos que a população seria melhor servida com o posto de vacinação na escola Gentila no Jardim San Diego”, explica.

Segundo Izabela, até dezembro, as equipes estão dentro do prazo para aplicar as vacinas. “Qualquer dúvida, podem ligar para 9932-37679, destaca a coordenadora, explicando que a meta para este ano é de 18.103 animais, que é o número vacinado em 2016. Já foram vacinados mais de 5 mil na zona rural. “A demanda maior é na zona urbana, por isso estamos longe dos 80% que o ministério preconiza”, destaca Izabela.

A raiva é transmitida através da saliva dos cães e gatos para o ser humano. Como o contato é pessoal com os pets, a vacinação é bastante importante. “O animal contrai o vírus e ele é o transmissor direto para o ser humano. A melhor forma é vacinar todos os cães e gatos. As vacinas são disponibilizadas gratuitamente nas campanhas para toda a população”, lembra a Coordenadora.

“-É importante que um adulto acompanhe o animal porque ele tem que nos auxiliar a segurar para aplicar a vacina”, lembra Izabela, ressaltando também que quem tiver cartão de vacina dos animais deve levar.

Desde 2014 a meta prevista tem sido alcançada pela Vigilância em Tangará da Serra.