31/10/2017 14:58

Quantidade de visualizações: 220

Marlenne Maria - da Redação

A informação foi repassada à reportagem da Rádio Pioneira pelo Vereador Hélio Schwaab, presidente da casa. Segundo ele a decisão foi tomada por prudência, haja vista as dificuldades em dar publicidade aos projetos que constam da pauta da Sessão. A sessão ordinária acontece semanalmente sempre nas terças-feiras, às 14:00.

O Vereador destacou que tanto no pequeno quanto no grande expediente da sessão ordinária há vários projetos a serem discutidos, alguns de grande relevância como a adesão do município ao consórcio de saúde para aquisição de medicamentos. De acordo com o presidente, a publicidade em relação aos projetos é feita via site e mural na Câmara. “Estávamos coma porta fechada, então o público não conseguiu ver, então, para não trazer transtorno para o Legislativo, achamos melhor transferir”, explicou.

Em virtude da dificuldade de divulgação prévia, como prevê a legislação, a sessão foi remarcada para esta quarta-feira, 1º de novembro, às 17:00. “Designamos para amanhã porque não conseguimos dar publicidade aos projetos devido à greve dos servidores. Os efetivos aderiram à greve, então ficamos sem sistema para esta divulgação. Para evitar problemas, resolvemos dar publicidade nos meios a que temos acesso como rádio, jornal e TV para divulgar os projetos que serão votados”, disse o presidente.

Ele ressaltou que não há na pauta projeto nenhum que venha em prejuízo aos servidores. “Só há projetos relevantes para o município. Mas, como a Câmara tem que dar publicidade o que não conseguimos porque o sistema está bloqueado pelos próprios servidores, designamos a sessão para amanhã”.

Consta do pequeno expediente, o Projeto 155/2017, que trata das antenas (em regime de urgência especial), do qual já há previsão de pedido de vistas e por isso não deve ir à votação. Segundo o presidente, o mais importante para que a população conheça é o Projeto 156/2017 de autoria do Executivo, que autoriza o município a participar do consórcio intermunicipal de saúde para aquisição de medicamentos.

Está na pauta também o Projeto 157/2017 que dispõe sobre extinção de alguns cargos públicos. “Isto é simples e não seria votado”, disse Schwaab.

Na ordem do dia constam ainda os projetos de lei complementar 17 e 151/2017 que já está em segunda discussão, além de uma mensagem de veto. “Temos que acolher o veto ao PPA para que o prefeito encaminhe outro PPA aqui para a Câmara. Então, para não haver problemas, estamos divulgando para realizarmos esta sessão ordinária nesta quarta-feira às 17:00”, destacou o presidente, convidando a população para acompanhar os trabalhos.

Sobre a greve

O Presidente da Câmara disse que várias vezes tentou, junto com seus pares, intermediar negociações entre Executivo e Sindicato dos Servidores, sem sucesso. “Inclusive ontem estivemos em oito vereadores no gabinete do Prefeito novamente pedindo que mande o projeto da RGA e resolva este problema, porque quem vai sofrer é o povo. Estivemos outras vezes e temos reunião marcada com a comissão do Sindicato para sexta-feira aqui na Câmara. Estamos tentando mediar para que seja resolvido este problema que é grave que chegou a atingir a Câmara. Os funcionários perdem, mas perde mais a população. E quem paga os salários dos servidores, nossos e do Prefeito é a população. Então temos que resolver esta questão que já está trazendo um transtorno muito grande para Tangará da Serra”.