24/10/2017 13:06

Quantidade de visualizações: 115

Rádio Pioneira com Assessoria

O deputado federal Rogério Silva (PMDB) confirmou esta semana o protocolo pela bancada de Mato Grosso na Câmara Federal de emendas parlamentares impositivas no Orçamento da União para 2018.

As emendas totalizam R$ 75 milhões, com uma parcela de R$ 20 milhões destinadas a Tangará da Serra para custeio da saúde pública. O valor restante será destinado a Cáceres e Sinop - R$ 20 milhões cada -, e R$ 15 milhões a critério do governador Pedro Taques, segundo as prioridades do Estado.

Na última sexta-feira, em Tangará da Serra, durante o evento da Caravana da Transformação para entrega dos cartões Pró-Família pela comitiva do governo do Estado, na Unic, Rogério Silva solicitou diretamente ao governador Pedro Taques que priorize, em 2018, o repasse dos R$ 20 milhões destinados a Tangará da Serra em razão do caráter regional da saúde pública local. “É um valor que representará um desafogo para o setor, com benefícios diretos à saúde dos tangaraenses e da população dos municípios vizinhos”, observou Rogério, ao fazer uso da palavra, no evento. “Tenho certeza que o senhor governador é ciente das nossas demandas e dará prioridade no envio deste recurso assim que forem liberados pelo Ministério da Saúde”, completou, dirigindo-se a Taques, que sinalizou positivamente.

Caravana

Rogério Silva elogiou a Caravana da Transformação e destacou a importância do mutirão para a população, que sentiu o governo mais próximo. “A população precisa deste carinho e o governo deve manter esta mobilização, de ir ao encontro do cidadão, que às vezes se sente abandonado”, disse o deputado federal.

Rogério destacou o número de atendimentos na 10ª edição da Caravana, que até sábado contabilizava um somatória parcial de 22.757 procedimentos oftalmológicos. O mutirão do governo estadual segue até o próximo dia 27. “É uma ação que precisa ser transformada em política pública, para que seja realizada permanentemente, não apenas neste governo. É uma forma de atender mais rapidamente as demandas da população, principalmente para aquele cidadão que tem dificuldades financeiras, físicas ou logísticas para se deslocar para outras cidades com maiores recursos para atendimento”, concluiu.