23/10/2017 13:44

Quantidade de visualizações: 274

Marlenne Maria - da Redação

Brígida Fisher e Juarez Leite falaram em entrevista à Pioneira.

O World Polio Day é comemorado em todo o mundo nesta terça-feira (24). Nesta data são avaliados os avanços na erradicação da doença da Poliomielite no mundo. Atualmente ainda são considerados endêmicos em relação à doença três países: Afeganistão, Nigéria e Paquistão.

Os rotarianos Juarez Jorge Leite e Brígida Fisher falaram em entrevista ao programa O Povo no Rádio da Pioneira sobre a programação desta terça-feira em Tangará da Serra. Já às 07:00 da manhã os rotarianos sairão em carreata da frente da antiga Prefeitura até o Posto de Saúde do Parque Figueira, onde a programação segue até o final do dia.

Juarez explicou que no Brasil, as primeiras vacinas que foram aplicadas contra a pólio, foram pagas pelo Rotary Clube. Hoje o Governo assumiu o financiamento das vacinas, mas os rotarianos continuam atuantes. “Onde não há conflitos armados, o Rotary está presente e onde há conflitos armados os governos nos ajudam. Em 2013 houve 397 casos, 95% deles no Afeganistão e Paquistão. Ano passado foram apenas 6 ou 7 casos nestes países. Onde houver casos de pólio no mundo, temos que combater, porque o vírus transmite muito fácil. Na copa do Mundo, aqui no Brasil, coletando o esgoto no aeroporto, foi observada presença do vírus”, disse.

220 países no mundo contam com a presença do Rotary Clube e terão atividades de conscientização nesta terça-feira. “Graças a uma parceria com a fundação Bill Gates e Melinda Gates, que encabeçaram esta campanha para angariar fundos para financiar estas vacinas. A pólio é um mal que vem assolando o mundo há mais de 30 anos. No Brasil tivemos a erradicação na década de 90, mas o vírus continua ativo em dois países: no Afeganistão e no Paquistão. Nestes países é difícil vacinar, porque eles estão em guerra. Mas, uma boa notícia é que o Paquistão está tomando medidas. Serão presos os pais que impeçam os filhos de vacinar. E equipes do Rotary estão nas entradas destes países e lá ninguém entra ou sai sem comprovar a vacinação”, disse Juarez

“Vamos fazer um buzinaço alertando a comunidade sobre a importância desta vacina. Depois estaremos no posto fazendo palestras, numa parceria entre os três clubes de Rotary, o Interact, Rotaract e Rotakids. Teremos autoridades presentes, uma doutora falará sobre a importância da vacinação, falando sobre os mitos e vamos levar uma pessoa que sofreu a doença. Temos casos aqui em Tangará de pessoas que tiveram a doença em outros estados e vieram para cá. Uma destas pessoas estará conosco dando seu depoimento”.

As vacinas serão aplicadas pela manhã e também nesta terça-feira (24) às 18:00 haverá um pit stop em frente ao Gotardo, ressaltando a importância de se contribuir para com a campanha de combate à pólio. “O brasil hoje não tem casos, mas se vier para o país alguém que tem a doença e todos os que não são vacinados, aqueles por exemplo nascidos antes que se trabalhasse a vacina, estão sujeitos à doença. Então, temos que controlar mesmo. Só poderemos dizer que não há mais paralisia infantil quando por cinco anos não houver nenhum caso no mundo”, destaca Brígida.

As vacinas serão aplicadas para todas as crianças de até 5 anos de idade “As mães devem levar os cartões de vacinação. Quem não recebeu a imunização vai ser vacinado. E outras vacinas serão aplicadas também”, ressaltou Brígida Fisher.

“Pedimos encarecidamente que cada mãe seja consciente. Desde os anos 90 não temos mais casos da doença no Brasil, mas é uma doença gravíssima, que não tem cura, mas pode ser prevenida por meio da vacina”, destaca ainda Juarez.

A pólio

A poliomielite, doença deformadora e por vezes fatal, ainda ameaça crianças em algumas partes do mundo. O vírus da pólio invade o sistema nervoso e pode causar paralisia em questão de horas em qualquer pessoa, mas principalmente em menores de cinco anos. Apesar de não haver cura para a doença, ela pode ser evitada através da vacinação.

Mato Grosso

Com 89,17% de cobertura vacinal e 203.563 mil crianças imunizadas, Mato Grosso não atingiu a meta de 95% do público alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite de 2015 e, em 2016, o estado também consta na lista dos que não alcançaram a meta recomendada pela OMS. É imprescindível que as atenções da sociedade se voltem a importância da vacinação.

Assim, em 2016 foi publicada a Lei Estadual n. 10.477, na qual ficou instituído o Dia Estadual de Combate à Poliomielite, o dia 24 de Outubro de cada ano, dia que passou a integrar o Calendário Oficial de Eventos do Estado de Mato Grosso.