30/09/2017 09:20

Quantidade de visualizações: 182

Sinop

Rádio Pioneira com G1/MT

O diretor da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sinop, a 503 km de Cuiabá, Luiz Carlos Lauer, registrou um boletim de ocorrência, nessa quinta-feira (29), relatando a falta de estrutura e equipe médica para atendimentos de urgência e emergência na unidade de saúde.

À polícia, o diretor afirmou que está preocupado que a superlotação causada pela interrupção dos atendimentos no Hospital Regional do município, desde a última quarta-feira (27), acarrete em riscos à vida de pacientes, pois a unidade não tem estrutura e equipamentos para realizar alguns tipos de procedimentos médicos.

“Devido ao fechamento do Hospital Regional de Sinop, a UPA atenderá em unidade de calamidade pública, uma vez que receberá toda a demanda de urgência e emergência do município, inclusive demandas do Corpo de Bombeiros de Sinop e da Rota do Oeste”, narrou ele, no boletim de ocorrência.

Segundo o diretor, a superlotação pode acarretar em atrasos nos atendimentos e descumprimento do protocolo de Manchester, que trata-se de um processo de classificação de risco dos pacientes, adotado pela UPA.

Atendimento suspenso

O Hospital Regional de Sinop interrompeu os atendimentos há dois dias. Médicos e funcionários da unidade alegam falta de estrutura e atraso no pagamento do salário e do vale-alimentação. Um funcionário do hospital, que preferiu não se identificar, contou que a falta de insumos básicos impede que pacientes sejam atendidos na unidade.