12/08/2017 07:39

Quantidade de visualizações: 261

Rádio Pioneira com Assessoria PJC/MT

O investigador da Polícia Civil Rodrigo de Matos Emiliano, da delegacia de São José do Rio Claro, será homenageado por ato de bravura. Ele foi vítima de um assalto e, mesmo rendido por dois assaltantes (um deles portando arma de fogo) em um hotel em Nova Mutum, conseguiu manter a calma, tentou dialogar com os bandidos, e agiu com precisão ao lutar com um deles, tomar-lhe a arma e assumir o controle da situação, evitando consequências de proporções imprevisíveis.

A afirmação é da diretora financeira do Sindicato da Polícia Civil de Mato Grosso – Siagespoc, Edleusa Mesquita, que explicou que o policial receberá uma placa de prata pelo ato de bravura que protagonizou.

Ela explicou que a homenagem prestada ao policial Rodrigo “é plenamente justificada porque ele teve a capacidade de reação esperada de um policial eficiente: ele pensou rápido, agiu com frieza e cautela, e interveio no momento adequado para que a ocorrência não tomasse um rumo inesperado e afetasse um maior número de pessoas”. Ela acrescentou que Rodrigo teve a reação mais adequada para aquele momento, razão pela qual merece ser reconhecido.

Edleusa Mesquita informou que a diretoria do Siagespoc resolveu prestar homenagens desse tipo sempre que ocorrerem situações semelhantes, como forma de fazer justiça e reconhecer a competência da categoria dos investigadores da Polícia Civil. Ela defende a ideia de que a ação do policial civil, quando exceder o limite do tradicional, precisa ser reconhecida oficialmente, até mesmo porque isso significa um incentivo para a maioria, que leva muito a sério o papel de proteger a sociedade.

O CASO

De passagem por Nova Mutum, o investigador Rodrigo foi surpreendido no hotel por dois indivíduos que anunciaram um assalto. Ele conta que ficou calmo e cooperou até o momento em que eles descobriram o seu distintivo de policial e um ordenou que o outro atirasse contra ele - por se tratar de um policial. Nesse momento ele decidiu mudar a tática e se atracou com o bandido que estava armado, conseguindo travar a arma e depois tomá-la do assaltante.

Segundo sua narração, ele identificou-se como policial, ordenou que o homem se deitasse, e tentou rendê-lo, mas o assaltante não obedeceu ao seu comando. “Ele continuou me enfrentando, veio para cima de mim uma vez, duas vezes, eu fiz um disparo de advertência, mas ele ficou ainda mais bravo e tentou me agarrar pelo pescoço; neste momento eu me desvencilhei dele e efetuei um disparo usando força letal, porque a minha vida estava em risco”, disse.

Além do reconhecimento do Sindicato, o policial Rodrigo deve ser homenageado por quatro municípios: os vereadores de Cuiabá (por iniciativa do vereador Marcos Veloso), de Nova Mutum, São José do Rio Claro e Nova Maringá devem conceder a ele uma Moção de Aplausos por ato de bravura. O delegado da cidade de São José do Rio Claro e a delegada regional também pretendem encaminhar a documentação do caso à DGPC, sugerindo uma homenagem parecida.