07/05/2017 08:29

Quantidade de visualizações: 109

Rádio Pioneira com Assessoria

Mato Grosso e os demais estados que integram a Amazônia Legal terão o seu potencial turístico divulgado e promovido durante ação do Ministério do Turismo (MTur) no mercado nacional e internacional. Uma ampla campanha em prol do desenvolvimento turístico da região foi lançada pelo ministro do Turismo, Marx Beltrão, durante o 14° Fórum de Governadores da Amazônia Legal, realizado em Rondônia, nesta sexta-feira (05.05).

Tendo como slogan “Descubra uma nova Amazônia”, a campanha destaca as múltiplas belezas naturais da região ao focar em experiências turísticas em diversos segmentos, entre eles do ecoturismo, seu maior potencial e o preferido dos visitantes nacionais e estrangeiros, segundo pesquisa contratada pelo Ministério, que aponta o interesse dos brasileiros em conhecer a Amazônia.

O pacote também contempla a gastronomia, manifestações culturais, conectividade aérea e divulgações em aeroportos, sites de agências de viagens, entre outros espaços publicitários. As artes gráficas exploram o potencial amazônico, como os animais, rios e quedas d’água, matas, entre outros. A campanha começa a ser veiculada no dia 09 de maio e terá como praças prioritárias Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro.

O objetivo é atrair turistas para a região, que engloba nove estados, abriga todo o bioma Amazônia brasileiro e, ainda, 20% do bioma Cerrado e parte do Pantanal mato-grossense; além de 34% das aves do planeta numa área total de 5.217.423 km², que corresponde a 61% do território do Brasil.

“O Ministério do Turismo está promovendo campanhas promocionais por todo o Brasil e agora lançamos a campanha da Amazônia Legal, que tem como objetivo divulgar a região como um todo, pelo potencial, pela sua culinária, por toda a sua importância para o Brasil e para o mundo. Essa campanha vai fazer com que todos os brasileiros possam conhecer o verdadeiro valor da Amazônia”, afirmou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

A campanha atende ao pedido realizado há cerca de um mês pelo Fórum de Secretários de Comunicação da Amazônia Legal, do qual é membro o secretário de Comunicação do Governo de Mato Grosso, Kleber Lima, e das suas respectivas secretarias estaduais de Turismo. O investimento do Ministério na divulgação é da ordem de R$ 20 milhões e segue o mesmo formato do que foi realizado recentemente com a campanha “Verão do Nordeste”.

O secretário de Assuntos Estratégicos de Mato Grosso, Jean Campos, avaliou como positiva a atuação conjunta dos estados que integram a Amazônia Legal brasileira. Ele representa o Estado nas discussões que ocorrem em Brasília.

“O primeiro resultado positivo foi a campanha nacional e internacional de promoção da Amazônia, fruto de nossa reunião, em fevereiro, com o ministro do Turismo em Brasília. Mas também avançaremos em outros temas como a presença da Amazônia na próxima reunião da Cúpula do Clima (COP23), como forma de reafirmar os compromissos firmados pelo governador Pedro Taques na COP 21, que ocorreu em Paris em 2015”, afirmou.

Segundo ele, outra iniciativa que tende a fortalecer Mato Grosso diz respeito à inclusão do tema PCI nas agendas coletivas. “Teremos a oportunidade de compartilhar experiências e buscar novos parceiros para a estratégia de expansão e aumento da eficiência da produção agropecuária e florestal de Mato Grosso, aliada à conservação da vegetação nativa e recomposição dos passivos ambientais, com a inclusão socioeconômica da agricultura familiar e de populações tradicionais. Temos muito trabalho pela frente”, explicou Jean Campos.

Estratégia PCI - O Gabinete de Assuntos Estratégicos (GAE) é responsável pela coordenação geral da estratégia do grupo, enquanto os eixos temáticos Produzir, Conservar e Incluir estão sob a coordenação das Secretarias de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Meio Ambiente (Sema) e Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf), respectivamente. Ao todo, integram a comissão secretarias estaduais e instituições como membros convidados, entre eles, empresas privadas, sociedade civil organizada, Ministério Público Estadual e Federal.