05/04/2017 14:23

Quantidade de visualizações: 598

Aline Schwaab com Heverton Luiz

A meta é vacinar 21.520 pessoas em Tangará da Serra

O anúncio foi feito em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (05) pelo Secretário Municipal de Saúde, Itamar Martins Bonfim e pela Enfermeira Juliana Herrero, responsável pelo Setor de Epidemiologia do município.

De acordo com o Secretário, a campanha acontecerá de 17 de abril a 29 de maio e o Dia D de vacinação será em 20 de maio. “Estamos aqui hoje para começar a divulgação da Campanha Nacional de vacinação contra a Influenza. Na campanha nacional o Dia D será em 13 de maio, mas em virtude do aniversário da cidade, prorrogamos para o dia 20. Temos como meta vacinar 21.520 pessoas. Ressaltando que todas as unidades de saúde estarão abertas para receber todos os grupos prioritários, basta levar o cartão de vacina e o cartão do SUS”.

Segundo a Enfermeira Juliana Herrero, o município deve receber aproximadamente 21 mil doses a partir do dia 13. Ela destacou que todas as Unidades de Saúde da Família terão vacina para aplicar em todas as pessoas do grupo prioritário.

“O Estado ainda não confirmou se vai fazer a distribuição das doses parceladamente, então, como nos anos anteriores, possivelmente não teremos todas essas doses no primeiro dia, é possível que eles façam essa entrega de forma parcelada. Em qualquer unidade de saúde que a pessoa for pode receber a dose”, disse.

Juliana destacou que o cartão do SUS e o cartão de vacina são documentos essenciais. “O diferencial esse ano é que a vacina será nominal, significa que o Ministério da Saúde vai saber com o nome, data de nascimento, nome da mãe e número do cartão do SUS de cada dose aplicada, então além do cartão de vacina, todas as pessoas do público alvo devem levar o documento de identificação e o cartão do SUS. Para quem não tem o cartão, será feito na hora em todas as unidades, haja vista que este é um documento obrigatório. Por esse motivo talvez demore um pouquinho mais a aplicação da vacina, porque vai ter que fazer o cadastro de todas as pessoas que receberão essa dose”.

Público Alvo

“Fazem parte do grupo prioritário, as crianças de 6 meses de idade a menor de 5 anos, ou seja, a criança tem que ter no máximo 4 anos, 11 meses e 29 dias. As gestantes em qualquer idade gestacional; as puérperas, que são as mulheres que tiveram bebe até 45 dias após o parto, então todas as mulheres que tiveram bebês em março e tiverem em abril, receberão a vacina. Todos os idosos acima de 60 anos e os trabalhadores da saúde. Os professores da rede pública e privada, esses precisam levar um documento do estabelecimento de educação dizendo que ele é professor, contendo o número dos documentos pessoais e do cartão do SUS; esse documento ficará retido na unidade para comprovar que foi efetuada a vacina. Os portadores de algumas doenças crônicas, esse grupo em especifico precisa ter uma prescrição médica que precisa ser liberada pelo Ministério da Saúde. As pessoas privadas de liberdade e os funcionários do sistema prisional. Todos esses grupos terão direto à vacina”, informou a enfermeira.

A meta é vacinar 21.520 pessoas em Tangará da Serra. “Lembrando que aqui nós temos 1.400 indigenas e neles a vacina é feita pelo DSEIs (Distritos Sanitários Especiais Indígenas), então não passa por Tangará da Serra, nem as doses e nem os vacinados. Na área rural teremos os dias de vacinação, porém com as mesmas obrigatoriedades da área urbana. Para todos da campanha, sem exceção, nós precisamos do cartão de vacina, documento de identificação e cartão do SUS, senão tiver esses documentos não será possível fazer a dose”, destacou Juliana Herrero.

A enfermeira salientou ainda que o objetivo da vacinação é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade por infecções causadas pela Influenza. “A nossa vacina é trivalente. São três tipos de cepa diferentes que compõem a vacina, duas do grupo da Influenza A e uma do grupo da Influenza B. A diferença com a vacina aplicada no sistema privado, é que a quadrivalente tem uma outra cepa da Influenza B, mas é uma influenza não frequente na América Latina, então não tem prejuízo nenhum para quem faz no setor público, a pessoa não estará menos protegida por fazer no sistema público. E eu faço um alerta para quem é do público alvo de fazer no município mesmo, porque não tem a necessidade de gastar com essa vacina”, frisou.

Notificações

Juliana afirmou que em 2016, Tangará da Serra teve 03 casos confirmados de Gripe H1N1. “No ano passado tivemos algumas notificações, porém nenhum óbito. Nós tivemos três casos confirmados de Influenza A por H1N1, mas todos evoluíram para cura. Não tivemos nenhum óbito ocasionado pelas Influenzas A e B. Esse ano não tivemos nenhuma notificação ainda, lembrando que essa doença é mais prevalente no período do inverno, por isso a vacina é feita em meados de abril, antecedendo esse período. Nós não temos inverno no Mato Grosso, mas as pessoas viajam para regiões onde existe o inverno e podem trazer essa doença para o nosso município. Por exemplo, 02 dos 3 casos confirmados são de pessoas que estavam em outras regiões e vieram para Tangará doentes”.

Prevenção

A enfermeira destacou ainda as outras formas de prevenção. “A vacina é apenas uma medida de prevenção. A principal prevenção para a Influenza de modo geral, são as medidas de higiene, principalmente a lavagem das mãos. É muito eficiente, principalmente para as crianças menores. As medidas de higiene são as mais importantes, o uso do álcool em gel para quando não é possível lavar as mãos”, concluiu.