23/03/2017 07:48

Quantidade de visualizações: 225

Aline Schwaab com Heverton Luiz

A informação foi repassada à Pioneira pela Coordenadora da Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra, Luciléia Oliveira.

De acordo com a coordenadora, atualmente o município conta com 11 médicos cubanos, 04 brasileiros e 01 mexicano, do Programa Mais Médicos que devem entrar na escala de férias para este ano. “Nós temos o Programa Mais Médicos desde 2013 implantado em Tangará da Serra e todo o ano alguns deles saem de férias. Entre abril e maio é o período em que eles saem de férias; cinco deles renovaram o contrato com o OPAS, sendo 01 mexicano e 04 brasileiros, então eles têm o período de 30 dias de férias. A médica cubana do Jardim Tangará II encerrou o contrato no final de fevereiro, então estamos sem o médico nessa unidade esperando a reposição pelo Programa Mais Médicos, porque eles têm de 30 a 60 dias para repor o quadro e nós estamos aguardando”.

Lucilélia afirmou que o município aguarda a reposição de outros 05 médicos pelo Programa Mais Médicos. “No final de janeiro dois médicos cubanos do nosso quadro foram embora do município sem o nosso conhecimento, então também estamos aguardando a vinda de dois outros médicos. Hoje em Tangará estamos esperando a reposição de cinco médicos, para isso conseguimos vagas com o Programa Mais Médicos e vamos receber mais cinco provavelmente brasileiros”.

Conforme a coordenadora, 07 médicos estão na escala de férias para abril e maio. “Em abril três médicos vão sair de férias: do Altos Tarumã, do Santa Lucia e do Morada do Sol; a gestão não tem informação da data certa dessa saída. Eles retornam e em maio saem mais quatro médicos. Hoje nós temos déficit de cinco médicos do Programa que estamos esperando reposição. Tem um sistema de informação no site do Ministério da Saúde que mostra os municípios que tem disponibilidade para médicos e os profissionais escolhem o município em que eles querem trabalhar. Estamos aguardando a vinda de cinco médicos que vão repor os médicos em finalização de contrato, porque os profissionais que têm mais de três anos no município, principalmente os cubanos, estão encerrando o contrato e com isso é preciso reposicionar novos médicos”.

Esse período de reposição tem prazo de 60 dias para acontecer, de acordo com a coordenadora. “Demora um pouco. Nós temos de 30 a 60 dias para reposição, então nós vamos tentar fazer um atendimento volante na pauta desses médicos até que venha o restante que o Ministério tem para a gente”.

Para que a comunidade não seja afetada, a Secretaria de Saúde planeja uma escala para atendimento nas unidades que ficarão sem médicos durante o período de reposição. “Vamos tentar reposicionar o médico de outra unidade para fazer um atendimento de pelo menos meio período nessas unidades que vão faltar médicos. São unidades que tem prédio apenas com uma equipe, porque as unidades que tem prédio com duas equipes, vai sair um e ficar o outro e, o médico que ali estiver vai atender as urgências que chegarem, entendendo-se que urgência são as pessoas que naquele momento sentem um agravo de doença”.

Luciléia destacou ainda que toda a unidade básica de saúde no município está preparada para atender agendamentos e urgências. “A unidade de saúde tem um médico e enfermeiro que tem a obrigação de fazer uma avaliação do paciente em urgência e entendendo que ele tem que ser medicado no momento, a unidade tem que medicar esse paciente. Esses atendimentos de urgência não são agendados. Todas as unidades têm um agendamento de consulta. Temos programas que funcionam dentro da Atenção Básica, atendimento a gestante, a criança, ao diabético, ao hipertenso, pessoas com transtornos mentais e outros; essas pessoas têm que ser avaliadas todo o mês pela equipe médica, então o agendamento de consulta é necessário para essas pessoas. Toda a unidade atende os pacientes de urgência independente do agendamento, que são pacientes que naquele momento precisam de atendimento imediato. Esse paciente deve ir à unidade básica de saúde para ser atendido e encaminhado à UPA, caso necessário”, concluiu.