14/02/2017 15:05

Quantidade de visualizações: 983

Roberto Weber - da redação Pioneira

Nesta terça-feira (14) o Governo Federal divulgou o calendário para saque das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS. A medida, prevê a injeção R$ 34 bilhões na economia nacional.

Consulte o saldo de sua conta inativa no site da Caixa Econômica Federal.

A Rádio Pioneira questionou e obteve com a participação de seus internautas o seguinte resultado enquete da primeira semana de fevereiro de 2017:

- O que você planeja fazer com o dinheiro a receber das contas inativas de FGTS?

41% - Pagar Dívidas

35% - Não tenho FGTS em contas inativas

21% - Poupar / Investir

3% - Fazer compras

O Coach Financeiro Marcos Cruz em sua participação durante o programa O Povo no Rádio destacou algumas das principais características que são importantes de serem lembradas no momento vivido pelo brasileiro.

Sobre a comum associação de que o dinheiro está relacionado à coisas ruins, Cruz responde: “Falar de dinheiro é muito bom, dinheiro é algo muito bom, nos ajuda a realizar muitas coisas. O brasileiro desenvolveu uma crença em que o dinheiro está associado a coisas ruins, T. Harv Eker nos lembra que o modelo de dinheiro que nós temos é originado de acordo com o aprendemos sobre dinheiro, então quando ouvimos falar mal associamos à coisas ruins”, comentou.

“É importante lembrar que existem intenções boas e más, em todos os sentidos e áreas, mas isso não significa que o dinheiro seja algo ruim, muito pelo contrário, o dinheiro ajuda a manter a saúde, ajuda na educação, o que é preciso entender é como nós usamos. O dinheiro potencializa aquilo que nós somos, então se você é bom, vai ficar melhor ainda”, completou.

Ano novo – Vida nova

A injeção, de ânimo e de dinheiro, promovida pelo Governo Federal com a liberação dos valores das contas inativas contrapõe o momento em que muitos ficam preocupados com as dívidas de início de ano:

Ouvimos isso de forma recorrente, percebemos e nos preocupamos com as ditas ‘despesas de início de ano’, e não deveria ser assim. Na verdade, nós sabemos que elas existem e vão acontecer todos os anos, então é algo que pode ser mudado, por meio do planejamento financeiro para que deixem de ser um problema, logo no começo do ano”, destacou.

Pagar dívidas, fazer compras ou investir?

“É uma medida inteligente do Governo de liberar esse recurso e ele deve ser aproveitado pelo brasileiro. Talvez o montante não irá pagar todas as dívidas, mas pode ser um começo que defina uma nova vida financeira para muitas pessoas”, comentou.

Por onde começar?

O primeiro passo é, para quem está endividado, conhecer sua realidade.

“Primeiro é fundamental entender qual o real valor da dívida, o que é capital, o que são juros, para quem eu devo. Com essas informações, eu consigo começar a negociar e definir um plano de como tudo será pago”, explicou.

Qual dívida pagar primeiro?

Mesmo que o montante não seja suficiente, o dinheiro precisa ser utilizado para que contribua com uma situação financeira equilibrada.

“Especificamente para quem já está endividado e quer esse recomeço em 2017, é interessante, que após conhecer o real valor de sua dívida, comece a negociar com seus credores. A primeira dívida a ser paga é obviamente aquela que cresce mais rapidamente, normalmente por causa dos altos juros. Então, se o valor que vou receber do FGTS agora é de R$ 300,00 por exemplo, e minha dívida é de R$ 5.000,00, não vou quitar, mas é possível aproveitar esse momento para conhecer sua própria realidade com mais clareza e sim, sair completamente das dívidas por meio de um planejamento financeiro”, pontuou.

Outro ponto importante na recuperação financeira, conforme Cruz é a negociação: “É preciso entender que levará um tempo para que a dívida seja quitada. É preciso negociar para que a dívida pare de evoluir, senão também a pessoa nunca conseguirá pagar. Mas entendendo essa questão do tempo, surgem as questões do hábito de consumo que também precisam ser revistos, senão, tudo volta a acontecer da mesma forma e novamente aquela pessoa estará sem controle da vida financeira”, disse.

Tempo e Dinheiro

“A relação dinheiro e tempo é muito tênue, muitas vezes não conseguimos resolver uma situação por sermos imediatistas. Se eu sou assalariado, o meu orçamento tem um valor e é preciso respeitar este valor até que eu consiga melhorá-lo”, destacou.

Marcos lembra ainda que na medida em que a pessoa começa a estudar e conhecer um pouco mais sobre o tema, compreendo questões como hábitos de consumo, matemática simples e pensando no futuro, ela mesma pode modificar e construir muitos sonhos.

“Na verdade, ao contrário do que muitos acreditam, não é quanto você recebe que faz tanta diferença, mas sim, quanto você gasta e com o que você gasta”, finalizou.


​Tangará: FGTS pode ajudar a sair das dívidas mesmo com montante pequeno​Tangará: FGTS pode ajudar a sair das dívidas mesmo com montante pequeno