23/12/2016 14:56

Quantidade de visualizações: 224

Marlenne Maria com Heverton Luiz

Itamar Bonfim, Secretário Municipal de Saúde de Tangará da Serra

Os números apresentados pelo Secretário Municipal de Saúde Itamar Martins Bonfim mostram o que ele ressaltou ser motivo de orgulho em relação ao ano de 2016. Entre os avanços apontados, o complexo que reúne em um único local UPA, Hospital Municipal e SAMU e a cobertura de 100% na Atenção Básica à Saúde.

“Foi um ano muito produtivo. Houve um comprometimento muito bom, tanto da parte dos servidores quanto do próprio Prefeito em consolidar as ações. Falo com orgulho, até porque no fechamento do ano nas reuniões, vimos que foi um ano muito produtivo, apesar de não estar ainda 100% como gostaríamos. Acredito que 2017 será muito melhor”, disse o Secretário.

Bonfim disse que a cobertura de 100% com estratégias de saúde da família, que era de 37% é privilégio de poucos municípios no estado. “São equipes completas, com médico, enfermeiros, agentes comunitários de saúde e técnicos de enfermagem. Das 5 maiores cidades de Mato Grosso, Tangará é a única que tem este percentual de cobertura. Saímos de 8 para 26. É um número expressivo que ajuda inclusive toda a região”.

Ele explicou que 10 destas equipes já estão inscritas em um programa que avalia acesso e qualidade nos serviços de atenção básica. “Em abril de 2017 o Ministério da Saúde fará avaliação destas equipes. Hoje já recebemos R$ 1.200,00 por cada equipe e sendo bem avaliadas, cada equipe renderá R$ 11 mil por mês”.

Mamógrafo e Raio-X

A instalação do mamógrafo e do aparelho de Raios-X no Posto Central foi um avanço na opinião do Secretário. “Era um sonho da sociedade e assim que fecharmos os números informaremos. Já rizemos muitas mamografias e os raios-x mais complexos fazemos também no Posto Central”.

Laboratório

O Secretário lembrou ainda que por meio de comodato, foram instalados equipamentos de última geração no Laboratório Municipal ampliando a oferta de exames. “Fazíamos cerca de mil a 1.500 exames por mês. Hoje fazemos em torno de 14 a 15 mil exames mensalmente, porque dotamos o laboratório de equipamentos de última geração. Conseguimos também deixar de comprar exames no setor privado e estamos fazendo no laboratório público”.

Equipamentos

Segundo Itamar também foram adquiridos muitos equipamentos para a maioria das unidades de saúde, bem como no Hospital. “No Hospital trocamos todas as camas, compramos poltronas reclináveis, carro de anestesia e berços infantis”.

Ele destacou também o investimento feito na aquisição de três veículos para atenção básica, com os quais os médicos podem fazer visitas residenciais. Também foram adquiridos veículos para a Vigilância Ambiental para combate ao Aedes aegypti.

CAF

Outro ponto destacado por Itamar Bonfim foi a implantação da CAF – Central de Abastecimento Farmacêutico. “Dos grandes municípios de Mato Grosso, só Tangará e Cuiabá tem esta central, que hoje tem uma pessoa responsável e que faz todo o trabalho de aquisição e distribuição de medicamentos. Estamos trabalhando ainda para melhorar este processo”, disse.

Recursos na conta

Segundo o Secretário, a pasta vira o ano com mais de R$ 1 milhão de reais na conta que serão usados no ano que vem para aquisição de equipamentos. ”São recursos que caíram na conta entre novembro e dezembro e por isso não haveria tempo hábil para licitar estas aquisições”. Em torno de R$ 400 mil reais serão utilizados na atenção básica e em torno de R$ 700 mil para aquisição de equipamentos para o Hospital e para centrais como Unitan, Capes e Posto Central.

Salas de Vacina

Outro ponto positivo destacado pelo secretário foi o equipamento das salas de vacina, que receberam câmaras frias de última geração. “Elas aguentam até 72 horas desligadas conservando as vacinas. A cada 10 minutos pode acessar e verificar a temperatura das vacinas. Inclusive na vigilância epidemiológica tem duas câmaras frias”, disse.

Certificação de Óbitos

Este foi outro ponto de avanço, segundo Bonfim, porque o município contratou médico na Vigilância Epidemiológica apenas para certificação dos óbitos. “Recebemos muitos partos de pessoas de fora daqui. Para se ter uma ideia, de 1.040 partos realizados até agora neste ano, 103 foram de pessoas de outras cidades. No ano passado tivemos índice de 21.65 de mortalidade. Este ano caiu para aproximadamente 13%. Esta médica junto com a equipe investiga e certifica estes óbitos”, explicou.

Parcerias e qualificação

O secretário destacou também como pontos positivos, ações desenvolvidas em parceria com instituições de ensino como o outubro rosa, novembro azul, abril verde, setembro amarelo, coletas de sangue e treinamentos para municípios da região para que façam testes rápidos para detecção de HIV e outras doenças.

Também foram preparadas as equipes que atuam em salas de vacinas e no trabalho de prevenção às DST/AIDS. Os servidores também receberam treinamento técnico administrativo, para aprenderem a organizar cada setor, treinamento este oferecido pela UFMT. “É um treinamento que veio agregar aos conhecimentos aos técnicos para que façamos com que as ações aconteçam como tem que acontecer”, disse Itamar.

Informatização e retorno de recursos

Na avaliação, o secretário lembrou também que neste ano foi possível informatizar toda a rede municipal de saúde. “Estamos totalmente integrados ao E-SUS. Todo trabalho feito em uma unidade de saúde o Ministério da Saúde tem automaticamente a informação lá. Isto está melhorando nossos indicadores a retomada de recursos. Se fizer e mostrar, recebe-se o recurso”.

Segundo Itamar Martins, de 2015 para 2016 foi possível aumentar o repasse do Ministério da Saúde para Tangará em mais de 1 milhão e meio de reais. “Esta é a importância de informar ao Ministério da Saúde a produção real que estamos fazendo hoje. Ficamos felizes por termos alcançado esta marca”.