28/11/2016 07:44

Quantidade de visualizações: 264

Aline Schwaab com Heverton Luiz

Foto: Heverton Luiz/ Rádio Pioneira

A informação foi repassada pelo Secretário Municipal de Saúde de Tangará da Serra, Itamar Bonfim, em entrevista na tarde desta quarta-feira (23).

De acordo com o Secretário, a ambulância nova que o município recebeu do Governo do Estado ainda não estava devidamente documentada para iniciar o uso.

“Fizemos o seguro, documentamos na CIRETRAN e agora está na fase em emplacamento, estamos finalizando. Recebi uma ambulância que só foi feito o termo de transferência, corri atrás e peguei a assinatura do Governador e hoje ainda falta a assinatura do Secretário de Gestão e do Secretário Estadual de Saúde. Mesmo assim, com o documento que eu fui atrás, nós já conseguimos colocar em dia ainda essa semana”, disse.

A aquisição desta ambulância foi possível através de recursos devolvidos do Legislativo para o Executivo no ano de 2015. O Governo de Mato Grosso e a Assembleia Legislativa realizaram a entrega do primeiro lote de ambulâncias no último dia 26, em Cuiabá. Os veículos foram adquiridos ao custo de R$ 23 milhões, sendo R$ 20 milhões devolvidos pela Assembleia Legislativa e outros R$ 3 milhões como contrapartida do Executivo.

“Queria esclarecer à população que há mais de anos a Assembleia Legislativa devolveu esse dinheiro para o Governo do Estado, então demorou mais de anos para que se adquirisse essas ambulâncias e distribuísse. Fomos contemplados, eu fui lá, trouxe e está aqui. Nunca houve um óbito por falta de ambulância em Tangará. Se aconteceu de uma ambulância no trajeto quebrar, no mesmo momento a gente foi lá com outra para socorrer, mas nunca deixamos alguém na mão. Por outras vezes já socorremos outros municípios também. Só quero ressaltar isso para dizer que a nossa gestão é responsável, respeita o cidadão e o patrimônio público”.

Com relação à documentação do veículo, o Secretário explicou que é necessário para que, no caso de imprevistos como acidentes, a ambulância esteja assegurada e o município seja ressarcido.

“Há um tempo uma ambulância nossa ia levando um paciente para Cuiabá e próximo de Nova Olímpia caiu um rodado de um caminhão em cima da ambulância que deu perda total. Se nós não estivéssemos com ela devidamente documentada e com seguro, não íamos receber nada. Por aquela ambulância, recebemos 77 mil reais de seguro e estamos comprando outra ambulância. Nós não podemos ser irresponsáveis de colocar um veículo que é patrimônio da cidade de Tangará da Serra para rodar sem estar devidamente documentado. Isso apenas para esclarecer”, disse.

Bonfim destacou ainda que o município conta com outras ambulâncias, com o SAMU e com o Corpo de Bombeiros para socorro de pacientes. “Entendo a sociedade que quer ver uma ambulância nova rodando, mas ressalto que hoje o SAMU dá um respaldo muito grande para a gente, temos outras três ambulâncias também. Essa ambulância não está rodando ainda porque não está devidamente documentada para rodar e isso coloca em risco o patrimônio, o motorista que está dirigindo e o próprio cidadão. Se eu não tenho um documento que nos ampara, eu prejudico todos esses”.

​Tangará: município agiliza documentação de nova ambulância para iniciar uso​Tangará: município agiliza documentação de nova ambulância para iniciar uso