24/11/2016 07:43

Quantidade de visualizações: 206

Aline Schwaab com Heverton Luiz

Itamar Bonfim, Secretário Municipal de Saúde de Tangará da Serra

Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (23), o Secretário Municipal de Saúde de Tangará da Serra, Itamar Bonfim, divulgou os dados do último LIRA (Levantamento de Índice Rápido) realizado no município.

Segundo Itamar, o LIRA é realizado a cada 60 dias e no mês de novembro foi registrado 5.1% de proliferação do mosquito Aedes Aegypti em Tangará da Serra, considerado alto pela Organização Mundial de Saúde.

“Quando deflagramos o Projeto Residência Nota 10 em janeiro deste ano tínhamos um índice de 4.2% considerado alto pela OMS. Fizemos um trabalho e caiu para 2.1%, depois para 1.6% e finalizamos em setembro com 0.3%. Foi um trabalho muito bem feito com os nossos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate a Endemias, Secretaria Municipal de Educação que também foi muito parceira abrindo todas as escolas e permitindo que fizéssemos um trabalho de borrifação. Foi um trabalho bem interessante, mas infelizmente com a escassez de água, muitas pessoas compraram outras caixas d’água e colocaram a nível de solo. Muitas delas estão tampadas, mas o problema é o local onde se faz um buraco para colocar o cano, ali sobra um espaço suficiente para o mosquito entrar. Então o último índice ultrapassou o que a gente esperava, com 5.1%. É um índice alto, mas já tomamos as providências”, disse.

De acordo com o Secretário, será montado um cronograma diferenciado para que a população realize a limpeza dos recipientes de armazenamento de água, de forma que sejam novamente abastecidos.

“Um cronograma junto com o SAMAE e Defesa Civil, para que as pessoas possam lavar suas caixas d’ água, desprezar a água e o SAMAE ir fazer o reabastecimento, de forma que as pessoas não temam ficar sem água novamente. É um trabalho em conjunto. Vamos divulgar esse cronograma que está sendo elaborado pela Vigilância Ambiental por setor. Isso é necessário porque com uma alta incidência de proliferação do mosquito hoje, a gente poderá ter muitos casos de dengue, Zika e Chikungunya no futuro”.

O secretário de saúde salientou ainda que os agentes continuam fazendo visitas nas casas afim de orientar a população sobre o combate ao mosquito. “A nossa equipe está trabalhando das 7h às 13h para poder passar nas residências no horário de almoço também e encontrar as pessoas em casa. Nesse período ainda não está acontecendo a transmissão, teve um caso notificado em novembro. Mas se essa larva, que vamos tratar agora com larvicida tentando eliminar nessa fase, passar para a fase adulta, vai acontecer a transmissão. E a gente não quer que isso aconteça. Houve infelizmente essa falta d’água e agora é necessário que a gente tome essas providências. Lembrar também a população que possa ter consciência”.

Amanhã (25) acontecerá uma panfletagem nas avenidas de Tangará da Serra com orientações sobre o combate do mosquito Aedes. “Em todos os dias as equipes estarão em todos os setores verificando novamente e fazendo o tratamento com larvicida. É importante esclarecer novamente que não é um problema só da Secretaria de Saúde de Tangará, é um problema de todos. Não deixem que somente os técnicos e profissionais façam essa desinfecção, tomem as suas providências também para que a gente possa evitar ter transtornos com a dengue futuramente”.