22/08/2014 12:45

Quantidade de visualizações: 778

Rádio Pioneira com Assessoria

Por Reinaldo Domingos*


Nesse mês, a partir do dia 25, será liberada a primeira parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas, de acordo com o calendário divulgado pelo Ministério da Previdência Social. Essa injeção de dinheiro feita pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aquece a economia e, por isso, é preciso saber se os beneficiados sabem a melhor forma de utilizar essa quantia.


Dinheiro extra, no geral, não deve ser utilizado para quitar dívidas e nem fazer novas compras, mas sim ser poupado, destinando-o para a realização dos sonhos; afinal de contas, o correto é conseguir pagar as contas com o próprio orçamento e não depender de valores extras. No entanto, boa parte da população não é educada financeiramente e, sendo assim, o melhor a fazer é ter ciência da situação financeira para saber como agir.


É preciso, então, fazer um diagnóstico financeiro, ou seja, anotar todos os gastos ao longo de um mês, separando-os em categorias (alimentação, combustível, vestuário, etc.). Dessa forma, verá exatamente com o que está gastando cada centavo do dinheiro e onde está havendo excessos, para diminui-los ou até cortá-los, se for o caso. Sabendo se é endividado, equilibrado ou investidor, é mais fácil descobrir o que fazer com o 13º.


Se estiver endividado, o primeiro passo é saber exatamente o que se deve e para quem, dando prioridade às dívidas que possuem os maiores juros, como cheque especial e cartão de crédito, por exemplo. Mas, antes de sair usando o 13º para pagar, converse com o credor e tente renegociar, para conseguir descontos e/ou melhores condições de pagamento. As taxas de jutos não devem passar de 2,5% ao mês.


Os que estão equilibrados são aqueles que não possuem dívidas, mas também não conseguem poupar. Parece que está controlado, mas, na verdade, a situação é preocupante, pois, em um primeiro imprevisto, o status poderá passar para endividado, da noite para o dia. Explico melhor no nono volume da Coleção Dinheiro sem segredo (Editora DSOP): Como se preparar para imprevistos.


Por isso, é de extrema importância que se tenha uma reserva financeira, para onde deve ser destinado ao menos uma parcela do 13º salário. O mais importante para este público, contudo, é criar o hábito de poupar para se conquistar algo que realmente deseja, seja uma casa, um carro, uma viagem, um curso de especialização, dentre diversas outras coisas.


Para os investidores, mesmo que ainda iniciantes, a opção mais indicada para utilizar o 13º é continuar investindo, tendo sempre um objetivo. Caso isso não ocorra, esses valores investidos serão alvos fáceis para exposições publicitárias, já que dinheiro sem objetivo é dinheiro perdido, causando o descontrole das finanças.


A conclusão que podemos tirar é que o dinheiro extra na economia, sem dúvida nenhuma, é muito positivo, desde que utilizado de maneira consciente, com educação financeira.

* Educador Financeiro.